Los Hermanos levam 15 mil pessoas à primeira noite da 20ª edição do Abril Pro Rock

Show de abertura da turnê que comemora os 15 anos da banda carioca contou com duas canções inéditas

Murilo Basso, de Recife Publicado em 21/04/2012, às 10h19 - Atualizado em 22/04/2012, às 10h30

Los Hermanos
Divulgação / Rafael Passos

Valeu a espera. Começou na última sexta, 20, a turnê que celebra os 15 anos de carreira do Los Hermanos. Em um Chevrolet Hall lotado – segundo a organização, aproximadamente 15 mil pessoas compareceram à apresentação – o público acompanhou a banda liderada por Marcelo Camelo e Rodrigo Amarante em um set list extenso; faixas pouco presentes nos shows do grupo, como "Do Sétimo Andar", "O Velho e O Moço" e "Conversa de Botas Ba0tidas" marcaram presença.

Leia textos das edições anteriores da Rolling Stone Brasil – na íntegra e gratuitamente!

Completamente à vontade no palco, o quarteto iniciou o show de maneira intensa com "Além do que Se Vê", na sequência vieram "O Vencedor", "Retrato Pra Iaiá", “Todo Carnaval Tem Seu Fim” e “O Vento”, todas em versões mais pesadas que o habitual, o que tornou a apresentação ainda mais interessante: é raro ver uma banda experimentando as possibilidade de seu próprio repertório para fugir da obviedade. E após um sincero “boa noite, Recife”, Amarante deu o recado. “Não deixem de ver as bandas novas nos outros dias do Abril Pro Rock. Anos atrás, éramos nós".

Outro ponto positivo foi o reencontro do grupo com seu primeiro álbum, homônimo, lançado em 1999: dele estiveram presentes canções como "Tenha Dó", "Quem Sabe", "Descoberta" e, já no bis, "Pierrot" – a mais pedida ao longo das 2h de show, que só foi interrompido no momento que o grupo parou para pedir auxílio a uma jovem que passava mal no meio da multidão. "Vamos nos divertir, galera", disse Camelo após a menina ser atendida.

Ainda houve tempo para duas canções inéditas, ainda sem título: a primeira com forte semelhança ao que a banda já fez e a segunda mesclando elementos acústicos e elétricos. “Acostumar” e “Mais Tarde”, da carreira solo de Camelo, também fizeram parte do show.

Ao final da apresentação ficou a sensação de que mesmo após recesso voluntário o Los Hermanos ainda é capaz de fazer muito barulho. E não surgiu nenhum nome no pop nacional que conseguiu chegar ao mesmo nível dos cariocas.

Primeiras Atrações

O Somato foi o primeiro a subir ao palco do Abril Pro Rock, e logo nas primeiras músicas se tornou visível o grande problema da noite: a equalização do som fez com que tudo soasse confuso e sobreposto, embora a mescla de música erudita, MPB e pop do grupo catarinense tenha mostrado certa competência. Em seguida, Tibério Azul trouxe ao Chevrolet Hall seu encontro entre a leveza da MPB e do jazz com algumas doses de regionalismo. Sem firulas, o compositor pernambucano encontrou seu público e saiu aplaudido. Terceira atração da noite, A Banda Mais Bonita da Cidade teve bons momentos, mas no geral continua soando como apoio para alguma trilha sonora de uma peça teatral.

Veja abaixo o set list do show do Los Hermanos:

1 - "Além Do Que Se Vê"

2 - "O Vencedor"

3 - "Retrato pra Iaiá"

4 - "Todo Carnaval Tem Seu Fim"

5 - "O Vento"

6 - "A Outra"

7 - "Morena"

8 - "Primeiro Andar"

9 - "Mais Tarde"

10 - "Do Sétimo Andar"

11 - "Um Par"

12 - "Sentimental"

13 - "Cadê Teu Suín"

14 - "Acostumar"

15 - "A Flor"

16 - "Cara Estranho"

17 - "Condicional"

18 - "Deixa o Verão"

19 - (sem título)

20 - "Pois É"

21 - "O Velho e o Moço"

22 - "Conversa de Botas Batidas"

23 - "Último Romance"

Bis

24 - (sem título)

25 - "Casa pré-fabricada"

26 - "Quem Sabe"

27 - "Tenha dó"

28 - "Descoberta"

29 - "Pierrot"