MAM abre mostra de Duchamp

Museu comemora aniversário com 120 peças do artista plástico, a partir do dia 16

Da redação Publicado em 13/07/2008, às 11h17 - Atualizado em 14/07/2008, às 08h32

A obra Rotoreliefs: Duchamp transformava objetos do cotidiano em arte
Divulgação

O Museu de Arte Moderna de São Paulo vai celebrar seu aniversário de 60 anos com uma exposição do artista franco-americano (nascido na França, mas naturalizado nos EUA) Marcel Duchamp. A mostra Marcel Duchamp: uma obra que não é uma obra "de arte" fica em cartaz até o dia 21 de setembro. É a maior exposição individual do artista na América Latina - ao todo, são 120 peças, que do Brasil seguem para uma temporada em Buenos Aires.

Duchamp (falecido em 2 de outubro de 1968) criou o conceito de ready-made: um objeto do cotidiano, que a princípio nada teria de artístico, é transformado, sem muitas mudanças, em arte. A peça mais conhecida do artista é Fountain (aqui chamada de Fonte - um mictório masculino).

A mostra é quase inteiramente formada por réplicas, reconstruções ou reproduções. Muitas das obras do artista não podem ser transportadas por causa do perigo de danificação. É o exemplo de O Grande Vidro (cujo nome original é La mariée mise a nu par ses célibataires, même), exposta no Museu de Arte de Filadélfia - parte do vidro da obra está quebrado. A réplica que será vista no MAM foi construída a partir do projeto publicado por Duchamp. Além disso, boa parte dos ready-mades produzidos pelo artista se perderam antes mesmo de sua morte. Ele mesmo chegou a assinar novos exemplares de obras como Porta-garrafas, Pente e Roda de bicicleta - além da Fonte.

A curadoria da mostra ficou por conta da escritora e historiadora de arte Elena Filipovic, especializada na obra de Duchamp.

Marcel Duchamp: uma obra que não é uma obra "de arte"

Terça a domingo e feriados, das 10h às 18h

MAM - Parque do Ibirapuera - Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº, portão 3. São Paulo, SP.

R$ 5,50

Informações: 11 5085-1300