Matt Damon é confirmado em filmes com Eastwood e Soderbergh

Ator repete parceria com dois diretores no sobrenatural Hereafter e na cinebio Liberace

Da redação Publicado em 18/09/2009, às 11h39

Matt Damon foi confirmado, nesta sexta, 18, em dois filmes: Hereafter, de Clint Eastwood, e Liberace, de Steven Soderbergh.

O projeto de Eastwood explorará terreno sobrenatural, inédito para o diretor, informou o site da revista Variety. A Warner Brothers mantém segredo sobre o enredo, mas adiantou que o filme vai seguir a linha de O Sexto Sentido, filme de M. Night Shyamalan com Bruce Willis. Indicado ao Oscar pelo roteiro de Frost/Nixon, Peter Morgan se encarrega da história.

O projeto, que inicialmente estava sob produção da DreamWorks, terá Steven Spielberg no time de produtores executivos.

A parceria Damon-Eastwood não é inédita. O ator será um capitão da seleção sul-africana de rugby que forma aliança com Nelson Mandela para unir o país em Invictus, cinebiografia do líder africano (interpretado por Morgan Freeman) dirigida pelo veterano.

Já a sociedade com Soderbergh, com quem Damon topou trabalhar em Liberace, é ainda mais antiga - recentemente, os dois fizeram juntos O Desinformante, além da trilogia iniciada com Onze Homens e um Segredo e a segunda parte de Che, em que o diretor continua a contar a saga de Che Guevara (interpretado por Benicio Del Toro).

A participação de Damon na cinebio de Liberace, popular pianista dos Estados Unidos, foi confirmada pelo próprio diretor, durante o Festival de Deauville, na França, a um jornal local. "Matt aceitou o desafio", disse Soderbergh, dando fim a suspense que já durava meses, ao ratificar o nome do ator de 39 anos na produção. Ele irá assumir o papel de Scott Thorsen, um amante do showman norte-americano - cuja interpretação ficou a cargo de Michael Douglas.

O artista - que tem músicas na trilha de Onze Homens e um Segredo - morreu em 1987, após vida marcada por extravagância e dinamismo (sua performance não se restringia a sentar e tocar piano: ele fazia piada, cantava, dançava e o que mais lhe desse na telha). Liberace - que tinha costume de tocar a bordo de seu Rolls-Royce - chegou a constar no Guinness como pianista mais bem pago do mundo.

O filme terá roteiro de Richard LaGravenese (P.S. Eu Te Amo) e dará atenção especial a um clássico episódio legal envolvendo Liberace: o processo do instrumentista a um jornal, que teria insinuado sua homossexualidade e o obrigado a "sair do armário", nos anos 50.