Membro do grupo A Tribe Called Quest diz que Lou Reed "ficou com todo o dinheiro" de "Can I Kick It?"

Banda de rap fez sucesso nos anos 1990 usando trechos de "Walk on the Wild Side", canção do ídolo roqueiro

Rolling Stone EUA Publicado em 17/11/2015, às 18h22 - Atualizado às 18h51

 Q-Tip e Phife Dawg (da esquerda para a direita) do A Tribe Called Quest

Ver Galeria
(2 imagens)

Sucesso dos primórdios do rap norte-americano, o grupo A Tribe Called Quest estreou em 1990 com o disco People's Instinctive Travels and the Paths of Rhythm, o qual teve como maior hit "Can I Kick It?". Trata-se de uma faixa com sample do clássico de Lou Reed "Walk on the Wild Side", de 1972.

Lou Reed: 20 músicas essenciais da lenda do rock.

À Rolling Stone EUA, Phife Dawg, membro do grupo, falou sobre o acordo que permitiu ao A Tribe Called Quest usar os acordes de "Walk on the Wild Side". Um acordo pouco favorável para os rappers. “Lembro que tinha um problema do Jive [selo da gravadora] em legalizar o sample”, disse Dawg.

Arquivo: Entrevista Rolling Stone com Lou Reed.

“Acho que eles não resolveram esse problema e ao invés de Lou Reed dizer, ‘Vocês não podem usar isso’, ele disse, ‘Ok, pode usar, mas eu vou ficar com todo o dinheiro”, completou ele. Segundo o artista, Reed ganhou 100% dos royalties e publicações de "Can I Kick It?" e “Até hoje, não vimos um centavo daquela música.”

Em 1990, Lou Reed já era um fã de rap de longa data. Segundo o livro Lou Reed: The Defining Years, de Peter Doggett, o roqueiro disse em 1984: “Alguns dos grupos de rap de Nova York estão tratando de coisas que me interessam e há algumas letras muito boas para se encontrar no rap.”

Naquele mesmo ano, como documentado no livro The Big Payback, de Dan Charnas, Reed foi o anfitrião do programa Rock Influences da MTV. Ele convidou músicos a levarem suas bandas favoritas para tocar. A escolha do próprio Reed foi o Run-DMC.

Passados 25 anos, Dawg não guarda rancor da fonte de inspiração. “Sou agradecido pela música ter feito sucesso, mas para ser honesto, foi culpa da gravadora. Eles não legalizaram o sample. É a arte dele [Reed], o trabalho dele. Ele poderia tranquilamente ter dito não e não existiria “Can I Kick It?”. Então, você tira algo bom e algo ruim. O lado bom é que não fomos processados. O ruim é que não ganhamos nada.”