MGMT toca no Tim Festival

Além da dupla indie, organização do evento confirmou shows de mais quatro atrações, entre elas The National e Paul Weller, ex-vocalista do The Jam

Da redação Publicado em 10/07/2008, às 13h53 - Atualizado às 17h32

Andrew VanWyngarden à frente do MGMT: banda engrossa o caldo das atrações indie do TIM Festival
Reprodução/MySpace

A organização do TIM Festival 2008 divulgou mais cinco atrações: shows dos indies do MGMT e do The National, das jazzistas Carla Bley e Esperanza Spalding e de Paul Weller, ex-vocalista do grupo britânico The Jam, foram confirmados para o evento.

Ao todo, dez artistas estão escalados para o TIM 2008. O punk cigano do Gogol Bordello, o rock dançante do Klaxons e as letras engajadas do Gossip serão mostrados no festival, que acontece na segunda quinzena de outubro em São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ) e Vitória (ES). Também se apresentam o saxofonista Sonny Rollins e a cantora Stacey Kent.

O MGMT busca um som retrô com a mistura de guitarras e elementos da dance music. Ben Goldwasser e Andrew VanWyngarden deram origem ao então The Management em 2001, durante a faculdade. Oracular Spectacular, primeiro disco da dupla, saiu em 2007. O MGMT chamou atenção com o single "Time to Pretend", que, ao lado da faixa "Eletric Feel", está no TOP 100 de singles no Reino Unido.

O vocalista Matt Berninger lidera o The National desde 1999, quando a banda foi criada. O grupo tem quatro álbuns de estúdio: o primeiro deles, homônimo, chegou às lojas em 2001. O último, Boxer, foi lançado em 2007 e tem quatro faixas disponíveis para audição no Myspace da banda.

Paul Weller cantou no The Jam, uma das bandas mais populares da Grã-Bretanha entre o final da década de 70 e o início dos anos 80. Após a separação do grupo, em 1982, Weller criou o Style Council, que durou até 1990. O cantor seguiu em carreira solo e vem ao Brasil para mostrar seu nono álbum, 22 Dreams.

Carla Bley e Esperanza Spalding representam dois estilos e épocas diferentes dentro do jazz. A primeira, aos 72 anos, é considerada uma das grandes instrumentistas do gênero. A pianista ganhou inúmeros prêmios, entre eles o Prix Jazz Moderne, da Academia Francesa de Jazz, e foi pioneira na criação de selos independentes. Enquanto Bley chega ao país com 27 discos no currículo, Esperanza Spalding aterrisa em solo brasileiro aos 23 anos de idade com seu segundo álbum, Esperanza. A cantora e contra-baixista tem o jazz como base, mas agrega estilos como o soul e o pop a sua música. Admiradora declarada da música brasileira, gravou "Ponta de Areia" (de Milton Nascimento e Fernando Brant) e "Samba em prelúdio" (de Baden Powell e Vinicius de Moraes).