Mick Jagger entra em campanha para salvar prédio

Roqueiro não quer que cinema inglês seja transformado em igreja; local foi palco de shows dos Stones, Beatles, Kinks e Who nos anos 60

Da redação Publicado em 08/06/2009, às 16h57

Mick Jagger está engajado em uma campanha para evitar que um antigo cinema próximo a Londres seja transformado em igreja, informa o site da rede britânica BBC. O líder dos Rolling Stones quer que o EMD (também conhecido como Granada), localizado na cidade de Walthamstow, seja mantido nas estruturas originais que serviram de palco para shows da banda nos anos 60, onde também tocaram nomes como Beatles, The Kinks e The Who.

Após fechar as portas em 2003, o cinema foi vendido à Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), que planejava reformar o lugar. Porém, a permissão para realizar as obras foi negada pelo conselho da região, já que a construção é considerada patrimônio nacional da Inglaterra pela composição arquitetônica em estilo art deco no interior do prédio. Representantes da IURD chegaram a fazer uma exibição pública dos planos para converter o local em uma igreja e devem pedir uma nova permissão para a reforma.

"É de partir o coração saber que um prédio tão bonito, histórico e centro de entretenimento seja tirado da comunidade local", lamentou o cantor. "Apoio por completo a campanha para mantê-lo aberto, para exibir filmes, música e artes para as gerações futuras".

O movimento para manter o EMD em seus moldes e funções originais ganhou seguidores na internet, com a criação de uma comunidade no Facebook. Com 631 membros, o grupo online intitulada a campanha de "Save the Walthamstow EMD cinema".

Além dos internautas e da McGuffin Film Society (organização sem fins lucrativos que luta pela manutenção do EMD - anteriormente, financiava exibições no local), também anunciaram apoio à causa foram a atriz e roteirista Meera Syal, o político e historiador Tony Benn, e o ator de séries de TV Tony Robinson.

"Cinemas e espaços para shows como o Granada são os vasos sanguíneos de nossa história cultural. Eles ajudaram a lançar a música popular britânica nos palcos mundiais e devem continuar a funcionar como lugares de entretenimento e diversão", concluiu Jagger.