Morte de Michael Jackson será tratada como homicídio

Em documento oficial, legistas atestam que astro faleceu por conta de uma "intoxicação aguda de Propofol"; Diazepam, Lidocaína e outras substâncias também foram encontradas no corpo do cantor

Da redação Publicado em 28/08/2009, às 18h01

O Departamento de Polícia de Los Angeles divulgou nesta sexta, 28, um comunicado oficial sobre as causas da morte de Michael Jackson. Em texto reproduzido pelo site da Rolling Stone EUA, o médico legista responsável pelo caso declarou que a causa da parada cardíaca foi uma "intoxicação aguda de Propofol".

Michael Jackson estampa uma das capas da edição de agosto da Rolling Stone Brasil. Confira um trecho da reportagem aqui.

Além do poderoso anestésico, outras substâncias foram encontradas no corpo do cantor. Abaixo, trecho do comunicado:

"Os medicamentos Propofol e Lorazepam (Ativan) são as principais substâncias responsáveis pela morte do Sr. Jackson. Outras drogas detectadas foram: Midazolam (Versed), Diazepam (Valium), Lidocaína (anestésico comum) e Efedrina (usada no tratamento de hipotensão associada com anestesia)."

O laudo completo com as causas da morte do astro, ocorrida em 25 de julho, será mantido em segredo pelo LAPD até que as investigações policiais sejam concluídas. As autoridades devem levar à prisão o médico pessoal de Jackson, Conrad Murray, sob a acusação de homicídio culposo, por administração irresponsável do medicamento Propofol, horas antes da parada cardíaca que matou o cantor.

O corpo de Michael Jackson será enterrado no dia 3 de setembro, no cemitério Forest Lawn, em Los Angeles.

Confira a cobertura completa da morte de Michael Jackson aqui.