Morto aos 53 anos, George Michael lançou primeiro single aos 19 anos e namorou brasileiro

Saiba mais sobre a vida e a obra do artista, que foi integrante do Wham! e morreu neste domingo, 25, na Inglaterra

Rolling Stone EUA/Redação Publicado em 25/12/2016, às 22h12 - Atualizado em 26/12/2016, às 17h58

George Michael
AP

George Michael morreu neste domingo de Natal, 25, aos 53 anos de idade, segundo informou o site da BBC. O cantor e compositor, ex-integrante do Wham!, morreu em casa, de acordo com a polícia local.

Michael nasceu Georgios Kyriacos Panayiotou em Londres, na Inglaterra, em 25 de junho de 1963. O primeiro single dele com o Wham!, “Young Guns (Go for It!)”, foi lançado em 1982, quando ele tinha apenas 19 anos de idade, e se tornou um hit imediato no Reino Unido, alcançado o terceiro lugar das paradas locais.

O Wham! teve um hit de sucesso internacional em 1984 com o single pop dançante “Wake Me Up Before You Go-Go”, que foi Número Um tanto na Inglaterra quanto nos Estados Unidos. O duo também teve singles no topo das paradas norte-americanas com a balada sentimental “Careless Whisper” e com a contagiante “Everything She Wants”.

LEIA TAMBÉM

Relembre a vida de George Michael em fotos

George Michael: a carreira do cantor em momentos inesquecíveis

Ainda que “Careless Whisper” tenha aparecido no álbum Make it Big, do Wham!, ela saiu como single solo de George Michael em 1984. Três anos mais tarde, ele lançou o LP solo de estreia, Faith, que foi o mais vendido em Inglaterra e Estados Unidos graças a singles como “Father Figure” e “I Want Your Sex”, além da faixa-título.

Faith vendeu mais de 25 milhões de cópias ao redor do mundo. O álbum seguinte de Michael, Listen Without Prejudice Vol. 1, foi segundo lugar nas paradas norte-americanas, alavancado pelas músicas “Praying for Time” e “Freedom ‘90”.

George Michael se apresentou em uma única ocasião no Brasil: o Rock in Rio II, no Maracanã, Rio de Janeiro, em 1991. De acordo com o site do jornal O Globo, o britânico conheceu, no camarim do festival, o estilista Anselmo Feleppa, por quem se apaixonou e teve um relacionamento sério até a morte do brasileiro, vítima do vírus da aids, em 1995.

A popularidade de Michael como artista solo diminuiu nos anos 1990, mas ele viveu um retorno aos holofotes em 2004, com o álbum Patience que estreou como mais vendido da semana no Reino Unido e 12º mais vendido no outro lado do Atlântico. Symphonica, disco dele de 2014, no qual ele canta com uma sinfonia, vendeu mais de 100 mil cópias no Reino Unido.

Michael esteve envolvido em algumas polêmicas durante a carreira. Ele foi condenado a oito semanas de prisão e cinco anos sem carteira de motorista em 2010, depois de adentrar uma loja com sua caminhonete Range Rover, enquanto estava sob efeito de substâncias. Em 2009, Michael foi detido sob suspeita de estar alcoolizado ou sob efeito de drogas quando bateu na traseira de um caminhão. A polícia também o encontrou caído sobre o volante em uma Mercedes estacionada, em 2006, e ele se declarou culpado por dirigir alcoolizado no ano seguinte.

Ele foi indicado oito vezes a prêmios no Grammy e venceu duas vezes: uma delas na categoria Álbum do Ano, com o disco Faith, e outra com a música “I Knew You Were Waiting (For Me)”, single dele com Aretha Franklin que foi hit quando saiu, em 1987.

Segundo a BBC, Michael estava supostamente trabalhando em um novo álbum com o produtor e compositor Naughty Boy no começo deste mês. Ele também estava planejando lançar um documentário chamado Freedom em março do ano que vem.