Noel Gallagher diz que deixaria ex-companheiros continuarem com o nome Oasis

“Seria hilário para caralho. Por mim, estaria tudo bem”, disse o guitarrista e vocalista

Redação Publicado em 12/07/2016, às 16h17 - Atualizado às 16h31

Noel Gallagher com Liam ao fundo, em um show do Oasis em 2008

Ver Galeria
(2 imagens)

Ex-vocalista e guitarrista do Oasis, Noel Gallagher foi ao escritório da Rolling Stone EUA para participar do podcast Music Now (ouça, em inglês, abaixo). Na ocasião, o britânico comentou sobre a antiga banda dele, revelando que deixaria os ex-companheiros seguirem usando o nome do grupo.

“No dia que eu saí da banda, eles poderiam continuar usando o nome se eles tivessem me pedido”, disse o Gallagher mais velho, que anunciou a saída do Oasis pela última vez em 2009, à RS EUA. “Eu teria liberado o nome para eles, mas eles não pediram.”

LEIA TAMBÉM

20 anos de Definitely Maybe: a estreia do Oasis faixa a faixa

[Blog] Liam canta “Wonderwall”, do Oasis, com fãs em Malta

[Lista] Noel Gallagher esteve presente na nossa lista de melhores de 2015

Há sete anos, ele escreveu no site do grupo: “É com alguma tristeza e grande alívio que anuncio minha saída do Oasis. As pessoas vão escrever e dizer o que quiserem, mas eu simplesmente não podia continuar trabalhando com Liam nem mais um dia”.

Quando Noel saiu – deixando a banda depois de 18 anos –, Liam e os outros ex-integrantes montaram outro grupo, chamando-o de Beady Eye, em vez de tentar continuar como Oasis. O Beady Eye lançou dois discos, Different Gear, Still Speeding (2011) e BE (2013) e chegou ao fim em 2014.

No podcast, Noel foi perguntado se deixaria os antigos companheiros voltarem a tocar como Oasis. “Pagaria para ver isso acontecer”, assumiu. “Acho que eu ficaria interessado para caralho nisso. Poderíamos começar um rumor de que eu vou reunir a banda sem Liam e vou usar um holograma tipo o do Tupac no Coachella.”

Depois da brincadeira, Noel assumiu que não teria problemas em ver Liam e os outros ex-Oasis se reunirem e usarem o nome da banda. “Não, mas falando sério, eu não os pararia”, revelou o ex-guitarrista e principal compositor do grupo. “Seria hilário para caralho. Estou tudo bem com isso.”

Ouça o podcast inteiro abaixo.