Michael Jackson morre aos 50 anos de idade

Rei do Pop sofreu parada cardíaca na tarde desta quinta-feira, 25

Da redação Publicado em 29/06/2009, às 19h10

Em 1995, no MTV Music Awards: cantor faleceu nesta quinta, 25

Ver Galeria
(14 imagens)

Atualizada às 21h03

Michael Jackson faleceu aos 50 anos em Los Angeles, Califórnia, após ter sofrido uma parada cardíaca. O Rei do Pop foi levado às pressas para um hospital na tarde desta quinta-feira, 25, após paramédicos o encontrarem sem pulso em sua mansão, em Holmby Hills. Um oficial da cidade informou à rede de notícias BBC que a ligação para o 911 foi realizada às 12h21 (horário local); pouco mais de três minutos depois, a ambulância chegou ao local.

A morte do artista aconteceu menos de um mês antes do início da This Is It, temporada de 50 shows em Londres (a primeira apresentação aconteceria no próximo dia 13 de julho). A volta do cantor aos palcos aconteceria um ano depois de Jackson completar seu quinquagenário, em 29 de agosto de 2008.

Michael Joseph Jackson nasceu na cidade de Gary, nos Estados Unidos, e deu início à carreira musical aos 5 aos cinco anos de idade, no Jackson 5. Ao lado de quatro irmãos mais velhos (a família era composta por nove filhos), o cantor mirim emplacou sucessos como "I Want You Back", "ABC", "The Love You Save" e "I'll Be There" no topo da parada da Billboard entre 1969 e 1970. O grupo era empresariado pelo pai, Joe Walter.

Em 1972, aos 14 anos, Jackson gravou Got to Be There, seu primeiro disco solo, lançado pela Motown. Após mais três álbuns pela gravadora, Jackson foi contratado pela Epic, o que rendeu Off the Wall, seu primeiro trabalho sem vínculos com a família, lançado em 1979. Quatro músicas chegaram ao Top 10 da Billboard; duas delas, "Don't Stop 'til You Get Enough" e "Rock With You", alcançaram o primeiro lugar.

Thriller, o maior sucesso de toda sua carreira - e, segundo dados não oficiais, o disco mais vendido da história da música - saiu em 1982. O álbum ficou 37 semanas seguidas no topo da parada de vendas de discos norte-americana. A gravadora afirma que mais de 100 milhões de cópias foram adquiridas ao redor do mundo (o Livro dos Recordes marca 65 milhões de unidades).

O fenômeno causado pelo disco rendeu oito prêmios Grammy ao cantor (ele ganhou 13, no total, durante sua carreira). O vídeo da faixa-título foi um divisor de águas na indústria de clipes. À época, curta de 14 minutos chegou a ser transmitido duas vezes por hora na MTV.

Na lista de trabalhos de Jackson, vieram depois Bad (1987), Dangerous (1991), HIStory (1995, coletânea com 14 músicas novas) e Invincible (2001), seguidos depois por um hiato produtivo. Apenas recentemente o nome do cantor surgiu como produtor de uma música em parceria com o rapper Akon.

Antes de perder a evidência com sua música, Michael ganhou manchetes no mundo inteiro por estar supostamente envolvido com casos de pedofilia. Em 1993, a família de um garoto de 13 anos o acusou de ter abusado do garoto, fato que se repetiria dez anos depois, quando outro menino, da mesma idade, declarou ter sido vítima do cantor. Na justiça, Jackson foi inocentado de todas as acusações em ambos os casos.

O astro teve três passagens pelo Brasil, sendo a primeira em outubro de 1974, quando se apresentou com o Jackson 5 em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Brasília e Belo Horizonte. Exatos 19 anos depois, Michael desembarcou para dois shows da turnê Dangerous Tour no estádio do Morumbi, em São Paulo, com a capacidade inteira ocupada (100 mil pessoas em cada dia).

Em 1996, o cantor voltou à terras tupiniquins, dessa vez com a missão de gravar o clipe do single "They Don't Care About Us", do álbum HIStory. Na produção, gravada por Spike Lee, Michael foi acompanhado pela percussão do grupo baiano Olodum em performance realizada nas ruas do pelourinho, em Salvador, na Bahia, e na favela Dona Marta, no Rio de Janeiro.