Nova MTV mostra sua cara, aparentemente um pouco mais pop

Com Supla e Fiuk no casting, a emissora abandona os VJs e corre atrás do que acredita que o jovem de hoje queira

Stella Rodrigues Publicado em 24/09/2013, às 13h40 - Atualizado em 15/09/2014, às 01h07

MTV Brasil
Divulgação

A nova MTV Brasil realizou uma coletiva de imprensa na manhã desta terça, 24, em São Paulo, para falar sobre a renovação do canal, que estreia sua nova programação, agora sob o comando da Viacom, no próximo dia 1º. Coube a Tiago Worcman, vice-presidente de conteúdo e programação e brand manager da MTV no Brasil, mostrar a nova cara da MTV no Brasil, que parece um pouco mais pop do que a anterior e está muito focada em buscar aquilo que o jovem brasileiro quer assistir, tendo realizado uma ampla pesquisa para determinar quais conteúdos agradam. “Essa MTV não tem preconceito. A gente representa a cultura pop no Brasil e no mundo, não tem restrição”, contou Worcman quando questionado a respeito de estilos musicais mais populares na programação musical. “É uma versão muito contemporânea e muito brasileira da MTV”, resumiu ele a respeito das intenções do canal, que estará nas principais operadoras de TV paga do Brasil, chegando a 12 milhões dos 16 milhões de assinantes de pacotes de cabo do país.

A grade inicial foi anunciada. Às 21h30 do dia 1º de outubro vai ao ar o primeiro programa da nova era da MTV, Coletivation, com exibição regular de segunda a sexta, que foi descrito oficialmente como uma atração que “apresenta de forma descontraída assuntos atuais da vida cotidiana como música, cinema, comportamento, celebridades, cultura pop e internet”. O programa, gravado com alguns dias de antecedência, terá em estúdio o cantor Fiuk e o comediante Patrick Maia como apresentadores, enquanto duas repórteres cuidam das pautas de rua. Não se trata exatamente de um programa jornalístico, mas algo que mistura isso, entretenimento e performances ao vivo. A primeira será de Demi Lovato, que vem ao Brasil para gravar o programa no dia 7 de outubro (com exibição marcada para 11 do mesmo mês). “Será um especial de 1h com ela”, explicou Worcman. “Ela canta 4 ou 5 músicas e o programa será em cima dela, com participação dos fãs. É um contato dela com a cultura brasileira.”

Dentre os programas nacionais ainda há um reality show estrelado por Supla, Papito in Love, no qual ele escolherá sua nova namorada entre 14 candidatas. Um trechinho foi exibido e é tudo aquilo que se espera de um “dating show” estrelado pela figura que é Supla. Um pouco bizarro, desbocado e com todo um arsenal de esquisitices ao qual recorrer. Por exemplo: em uma cena claramente encenada, ele explica ao pai, o carismático senador Eduardo Suplicy, qual a intenção por trás do programa. Supla esteve presente na coletiva, para a qual deixou a casa onde estava confinado com as moças. “A lot of entertainment na casa”, foi uma das primeiras frases de Supla, cuja mera presença já faz as pessoas gargalharem. Com seu jeito típico de falar, misturando inglês e português, ele contou o quanto tem gostado da experiência. “Se não estivesse me divertindo, não estaria fazendo essa porra de jeito nenhum. Estou morrendo de sono, acho que nunca beijei tanto. Rendeu a história ontem!”

Dos programas brasileiros já escalados para a programação de estreia, ainda temos a animação de humor Família do Zaralho, adaptação da mexicana La Família del Barrio, que traz a vida de uma família tão típica quanto disfuncional. Felipe Xavier é o responsável pela animação adulta e faz todas as vozes. Uma herança que ficou é o retorno do MTV Sports, com Deco Neves e Lucas Stegmann. “Nessa temporada nova convidamos a audiência para participar de umas provas que a gente criou, valendo uma viagem para Los Angeles. Sandro Dias e Vitor Belfort participam ajudando a treinar as pessoas”, contou Lucas.

As atrações vindas da matriz são os realities Catfish, que desmascara as mentiras por trás de relacionamentos online (a princípio, o norte-americano será exibido no país, mas há a intenção de gravar uma versão brasileira), Pranked, programa de pegadinhas e brincadeiras que usa vídeos postados na internet, a série Vampire Diaries, exibida no Brasil pela Warner, anteriormente; a série Awkward, o programa de auditório Ridiculousness, que mostra convidados famosos e anônimos em situações constrangedoras; e o MTV World Stage, show exibido por todas as MTVs do mundo em sincronia (o primeiro, com Snoop Lion, vai ao ar na sexta, 11 de outubro, à 22h30). Em abril, é a vez do Brasil ser host do World Stage, mas a atração e a cidade não foram reveladas.

Essa é a programação de estreia, que garante 350 horas de produção nacional na telinha da MTV por ano. A intenção, segundo Worcman, é ver os resultados e possivelmente aumentar isso. “É o maior número de horas produzidas localmente fora dos Estados Unidos. Mais do que a cota, é uma preocupação de falar com o nosso target”, disse ele em referência à lei da TV paga, que exige a presença de conteúdo produzido nacionalmente no horário nobre dos canais por assinatura.

Algumas das tradições da MTV internacional também estão nos planos da nova encarnação do canal. “O Unplugged é um formato histórico e a marca continua fazendo pelo mundo. Eu quero muito fazer, mas estamos avaliando como negócio, com fazer isso. Estamos tentando viabilizar com as gravadoras. É uma essência da MTV no mundo, mas não posso dizer anda quando teremos”, disse Worcman. Há também uma preocupação com dar espaço a bandas novas, já que, segundo ele, a música continua sendo o foco do canal: “o M de música continua, mas ele também é um M de millennials”, explicou a respeito da chamada geração Y, entre 15 e 25/30 anos, que é o foco da marca. “Bandas novas têm uma janela enorme de exposição, tanto nos blocos de clipes [que entram na programação sem VJ, eliminando a função dentro do canal, por ora], quanto no Coletivation.”

Por enquanto, o acervo da antiga MTV, do grupo Abril, não terá qualquer espaço no canal. Mas a hipótese não está descartada. “Estamos estudando com a Abril a possibilidade, ainda não sabemos.” Fora o que já foi anunciado, a ficção está nos planos. A MTV tem um contrato de exclusividade com o canal CW, de forma que apenas ela poderá passar as séries do canal teen norte-americano em território nacional. Além da já citada Vampire Diaries, que entra logo de cara no ar (em uma maratona das quatro primeiras temporadas para alcançar a exibição dos EUA no início do ano que vem), foram citadas ainda The Yomorrow People, The Originals e The 100. Segundo foi revelado, a produção de séries nacionais de ficção serão uma prioridade para a MTV, que trabalha com diversas empresas terceirizadas para produzir seu conteúdo (nada é feito em um estúdio próprio do canal). Em março do ano que vem estreia a primeira dessas séries, Copa do Caos, com 13 episódios. “Dois argentinos vêm para o Brasil para a Copa e se metem em várias roubadas. Tem aquela rivalidade toda, torcem pro Messi, falam coisas que para eles significa uma coisa, mas para a gente quer dizer outra etc”, adianta Tiago.

VMB

Conforme já vinha sendo especulado, o VMB, ou uma versão dele, não faz parte dos planos iniciais da MTV, que continuará exibindo as premiações internacionais normalmente, contudo. “Estamos avaliando para ver se o VMB será um dos nossos eventos. Estamos pensando em ter algo como o VMB, mas queremos aumentar, dar um twist, ampliar um pouquinho”, contou.