N.W.A, Deep Purple e Cheap Trick são escolhidos para o Hall da Fama do Rock

"É surreal", disse Dr. Dre sobre a indicação; conheça as outras reações dos artistas e quem poderá se reunir a quem no palco

Andy Greene Publicado em 17/12/2015, às 13h45 - Atualizado às 15h36

Os detalhes da ascensão profética e caótica do N.W.A, o grupo de rap mais perigoso do mundo
Mark Seliger

O Hall da Fama do rock anunciou oficialmente os artistas que serão induzidos na cerimônia do ano que vem: Cheap Trick, Chicago, Deep Purple, N.W.A e Steve Miller vão se juntas à turma de 2016. A festa será realizada no dia 8 de abril, no Barclays Center, no Brooklyn, em Nova York. A HBO exibirá o evento posteriormente tanto nos Estados Unidos quanto no Brasil.

Os artistas podem entrar para o Hall da Fama 25 anos depois do lançamento do Primeiro disco ou single. Porém, este ano, quase todos eles já eram elegíveis há algum tempo. O N.W.A, que apareceu nas cédulas de votação pela quarta vez, este ano, é o único grupo que começou depois dos anos 1970. "É muito empolgante que o grupo seja reconhecido como um todo pela indústria como digno do Hall da Fama”, disse Ice Cube à Rolling Stone EUA, destacando os talentos individuais no grupo.

"Quando começamos o N.W.A, jamais teria imaginado isso”, acrescentou Dr. Dre. “Nunca achei que o tipo de música que a gente faria chegaria a receber esse tipo de prêmio. Sempre fiz aquilo que amo e receber essa honra é surreal. Estou honrado de fazer parte de um conjunto de artistas tão incrível”.

O guitarrista do Cheap Trick Rick Nielsen está igualmente emocionado. "Live at Budokan não era tão ruim assim. Conseguir nosso primeiro contrato não foi tão ruim assim. Fazer 5 mil shows… não foi tão ruim assim. Mas isto aqui é algo que deve ir para o topo do nosso currículo.”

Para os gigantes do metal do Deep Purple, a indução chega depois de anos de um lobby apaixonado por parte dos fãs leais da banda "Com tantos line-ups, acaba virando um campo minado", disse o baterista Ian Paice, único músico presente em todas as formações. “Se eu comandasse o Hall of Fame, não saberia como resolver. Msa pelo visto deu certo e estou muito contente.”

O Chicago estava esperando por tanto tempo quanto o Deep Purple. “Para dizer a verdade, estou muito surpreso de a gente ter sido indicado, já que fazia tanto tempo desde que passamos a ser elegíveis”, disse o cofundador e tecladista Robert Lamm. "Eu acho que o conjunto da obra mudou a música pop, por isso nos consideram influentes”.

Todos os artistas, tirando o N.W.A, está na ativa fazendo turnês; e todas elas têm ex-integrantes que poderiam se juntar ao resto dos músicos no palco para uma reunião durante a cerimônia. Os fãs de metal vão se interessar especialmente pelo status do guitarrista do Deep Purple Ritchie Blackmore, que não toca com a banda desde que saiu, em 1993. O baterista Ian Paice diz que não sabe sequer se Blackmore comparecerá, quanto mais tocar. "Eles às vezes te confunde, você acha que fará uma coisa e ele faz outra. Eu não apostaria dinheiro nisso.”

Paice diz que qualquer decisão a respeito da performance será feita por todos os integrantes atuais. "Nossos músicos não são assalariados. O [tecladista] Don [Airey] e o [guitarrista] Steve [Morse] são membros da banda e eles compartilham de tudo, incluindo as decisões. Eles terão que ser consultados e vamos ver como eles se sentem a respeito de tudo.”

A indução também trará ao Chicago a oportunidade de se apresentar ao lado do cantor e baixista Peter Cetera pela primeira vez desde que ele deixou o grupo, em 1985. "Eu acho que se for para acontecer, essa é uma ótima oportunidade", diz Lamm. "E, pessoalmente, eu acharia muito emocionante. Falo com Peter de vez e quando e sei que ele não toca baixo há muitos anos, mesmo que seja um exímio músico. Ele certamente cantaria, pelo menos eu imagino.”

Os fãs do Cheap Trick também poderão ter a chance de ver a banda tocar com o baterista Bun E. Carlos, que saiu em 2010. Mas sera que Nielsen acha isso possível, diante das questões legais que os dois lados enfrentaram nos últimos anos? “Tenho certeza de que ele será convidado”, ele diz. “Mas será que ele vai? Não sei. Por que não? "

O N.W.A fez várias reunioões nos últimos anos, especialmente para promover o aclamado filme Straight Outta Compton: A História do N.W.A. "Acho que conseguimos juntar Ren, Yella e Dr. Dre.", diz Ice Cube. "Creio que Snoop poderia ser um Eazy-E honorário. Não posso falar por ele, mas vamos pedir. Provavelmente vamos chamar algumas pessoas.”

O N.W.A se junta a uma elite de nomes do rap que inclui Grandmaster Flash & The Furious Five, Beastie Boys, Run-D.M.C. e Public Enemy, todos já no Hall da Fama. "Essa é a nata no que diz respeito a grupos que tiveram impacto”, continua Cube. "O que é engraçado é que depois do Wu-Tang Clan a cultura do grupo de hip-hop começou a sumir. Tivemos muitos grupos e depois muitos artistas solo. Seria interesante ver qual será o próximo rapper solo a entrar para o Hall.”