Cantor britânico Gary Glitter é condenado a 16 anos de prisão por abuso sexual de menores

O ex-roqueiro glam fez sucesso na década de 1970 com o hit “I’m the Leader of the Gang (I Am)”

Redação Publicado em 27/02/2015, às 11h24 - Atualizado às 12h24

Gary Glitter
AP

O ex-roqueiro glam Gary Glitter foi condenado a 16 anos de prisão por ter cometido abuso sexual de menores de idade entre os anos de 1975 e 1980.

Relembre 10 casos de músicos que foram parar atrás das grades.

O inglês de 70 anos, cantor do hit “I’m the Leader of the Gang (I Am)”, foi julgado culpado por estupro, assédio sexual e por ter feito sexo com uma garota de menos de 13 anos, noticiou a BBC. A mais nova das vítimas teria apenas 10 anos e Glitter tentou estuprá-la enquanto ela dormia.

Compositor do Kiss é preso após ser acusado de promover pornografia infantil.

O artista fez sucesso no Reino Unido especialmente durante a década de 1970. Até o ano de 1975, vendeu 18 milhões de discos.

Ele já havia sido preso em 2002 por suspeita de crime sexual durante uma investigação sobre Jimmy Savile, ex-apresentador da BBC, acusado de abusar sexualmente de cerca de 300 garotas e garotos antes de sua morte, em 2001, aos 84 anos.

Suge Knight, magnata do rap norte-americano, é preso após atropelar e matar homem.

Além disso, Glitter, cujo nome verdadeiro é Paul Gadd, foi condenado no Reino Unido por posse de pornografia infantil, em 1999, e depois preso no Vietnã, em 2006, por abusar sexualmente de duas jovens.