Organizadora diz que Oasis não se apresentará no Glastonbury

Liam Gallagher colocou os fãs em polvorosa após tuitar o nome da banda, na semana passada

Redação Publicado em 28/04/2014, às 11h46 - Atualizado às 11h48

Chances de retorno
Divulgação

Bastaram cinco letras, publicadas uma a uma, para deixar os fãs do Oasis animados com a possibilidade de um show de reunião. E a vaga entre os headliners do festival britânico Glastonbury foi espaço ideal para acomodar os vindouros rumores. Emily Eavis, organizadora do festival, contudo, foi ao Twitter para refrear os ânimos.

Reuniões: 20 bandas que gostaríamos que voltassem.

“O Oasis não vão tocar neste ano”, escreveu ela no último sábado, 26, antes da última leva de ingressos começarem a ser vendidos – de acordo com o britânico The Guardian, os bilhetes se esgotaram em 16 minutos.

O festival britânico anunciou praticamente todo o line-up deste ano, incluindo as atrações principais Arcade Fire e Kasabian. Uma vaga entre os escolhidos para encerrar as noites do evento, contudo, permaneceu vaga.

Na semana passada, a luz de alerta ascendeu quando Liam Gallagher, também no Twitter, publicou as letras O, A, S, I, S, e, depois, completou: “Oasis LG”, com o nome da banda e as iniciais dele.

Como o primeiro disco da banda, Definitely Maybe, comemora 20 anos em 2014, muitos já encontraram na comemoração um bom motivo para uma reunião do grupo.

12 brigas históricas do rock and roll.

Paul Arthurs, guitarrista conhecido como Bonehead, disse em janeiro à NME que Liam aceitaria se reunir com o irmão Noel para uma apresentação comemorativa. Contudo, a reunião da banda, que acabou em 2009, parece ainda bastante improvável, principalmente porque o irmão mais velho não parece estar disposto a voltar ao palco com o antigo grupo.

Em entrevista à Rolling Stone EUA, Noel afirmou que o aniversário do disco não seria o suficiente para colocá-lo novamente ao lado de Liam no palco. “Bom, teremos a inevitável edição de aniversário, imagino. Mas você está perguntando se a banda vai subir ao palco e se acabar de tocar “Rock 'n' Roll Star” em algum lugar, tipo as Filipinas ou algo assim?”, questionou ele. “A banda acabou, não existe mais. Não há mais banda. Então, não. Eu não me envolveria, de qualquer forma. Se acontecer uma reunião, eu não farei parte dela.”