Ouça a cover de "Silver Haired Daddy of Mine", do duo Everly Brothers, feita por Billie Joe Armstrong e Norah Jones

Em uma parceria inusitada, a cantora e o líder do Green Day gravaram um disco de covers chamado Foreverly, que presta homenagem aos irmãos

Rolling Stone EUA Publicado em 17/11/2013, às 11h24

Billie Joe Armstrong e Norah Jones - Foreverly
Reprodução

Em uma das parcerias mais inusitadas dos últimos anos, Norah Jones e o vocalista do Green Day, Billie Joe Armstrong, se uniram para gravar Foreverly, um tributo ao disco de 1958 do Everly Brothers, Songs Our Daddy Taught Us. Os dois podem não formar a mais lógica das parcerias, mas encontraram algo em comum na paixão mútua pelo duo. A Rolling Stone EUA divulgou em primeira mão o streaming de um dos resultados dessa colaboração, a faixa "Silver Haired Daddy of Mine."

Parcerias improváveis: artistas que, mesmo aparentemente não tendo nada em comum, são bons amigos.

O álbum conta com novas versões de clássicos como “Down in the Willow Garden” e “Barbara Allen”, que vez ou outra ganha cover de novos artistas, assim como um country de Karl Davis, “Kentucky”. Em nota à imprensa, Armstrong, que há muito tempo é fã do Everly Brothers, afirmou que o projeto teve início quando ele descobriu Songs Our Daddy Taught Us há alguns anos.

“Eu pensei em Norah porque ela consegue cantar qualquer coisa, do rock ao jazz e blues”, disse. “E sabia que as harmonias seriam incríveis.”

”Esta é com toda a certeza a única entrevista que vou dar a respeito disto”, disse Billie Joe Armstrong à Rolling Stone quando se sentou para conversar sobre a internação e o período em que ficou longe dos palcos. Leia aqui.

Norah também ficou entusiasmada com o projeto devido a um apreço profundo pelo trabalho do Everly Brothers e da música country em geral. A dupla gravou o disco em nove dias em um estúdio em Nova York com o engenheiro Chris Dugan. Armstrong e Norah dividiram os vocais, assim como guitarra e piano, e foram acompanhados por Charlie Burnham nas cordas, Tim Luntzel no baixo, Dan Rieser na bateria e o guitarrista Johnny Lam.

Em entrevista ao site Stereogum, a dupla afirmou que o processo de gravação foi similar a um encontro às cegas. “Cantamos junto a um monte de gente, foi assim que Norah e eu nos encontramos pela primeira vez”, lembra Armstrong. “Então, bom, me envolvi com o disco do Everly Brothers há alguns anos e achei que era lindo. Estava escutando toda manhã durante um tempo. Pensei que seria legal regravar o disco porque pensei que era um tipo de coisa obscura e mais gente iria conhecer, mas eu realmente queria uma mulher cantando porque achei que teria um significado diferente – talvez ampliaria o significado um pouco – comparado a ouvir as canções sendo apresentadas por dois irmãos. Então, minha mulher disse: 'Por que você não chama a Norah Jones para fazer?' E eu pensei: 'Bom, eu meio que conheço ela'. Quer dizer, a gente tinha Stevie Wonder, com quem tocamos junto, em comum. E então eu chamei e ela disse sim.”

O vocalista do Green Day reconhece que cantar covers e duetos não é o que ele costuma fazer, mas afirma que é parte do apelo. “O ouvinte comum talvez pense algo como ‘bom, não é punk rock’ ou qualquer coisa mais sobre este disco, mas eu gosto de fazer coisas diferentes – é divertido, faz a vida ser mais interessante.”

Foreverly será lançado no dia 25 de novembro pela Reprise Records.