Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

Radiohead não testemunhará contra associação de gravadoras

No começo do mês, boatos deram conta que a banda inglesa iria ao tribunal a favor de universitário norte-americano acusado de baixar músicas ilegalmente; porta-voz afirmou que encontros com advogados de defesa foram apenas informais

Da redação Publicado em 14/04/2009, às 12h05

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail

A banda inglesa Radiohead desmentiu os rumores de que compraria briga contra as grandes gravadoras nos tribunais - no começo do mês, alguns veículos de comunicação divulgaram que Thom Yorke e cia. testemunhariam a favor de Joel Tenenbaum, estudante da Universidade de Boston (EUA) acusado de baixar músicas ilegalmente na internet.

Em 2003, Tenenbaum recusou-se a pagar US$ 500 (R$ 1.085) em um acordo proposto pela Recording Industry Association of America (RIAA), a associação de gravadoras dos Estados Unidos. O universitário é acusado de baixar sete músicas pela web - a indenização, agora, poderia chegar a milhões de dólares, segundo a página Joel Fights Back.

De acordo com o site norte-americano Pitchfork, um porta-voz do grupo deixou claro que "nenhum membro do Radiohead tem planos de testemunhar nesse julgamento", apesar de ter acontecido "uma reunião informal entre os advogados de defesa e um dos empresários da banda".

Recentemente no Brasil para tocar no Just A Fest, os ingleses são tidos como pioneiros no front contra a indústria musical. Tudo devido ao lançamento de In Rainbows, em 2007 - um álbum em que o público pagava quanto bem entendesse para ter as músicas via web.

No tribunal o Radiohead parece não querer entrar, mas o ativismo da banda está de pé na Featured Artists Coalition , ("coalização de renomados artistas", em livre tradução). Espécie de sindicato com mais de 60 nomes do meio (entre eles, Iron Maiden, Kaiser Chiefs, Kate Nash e The Verve), a FAC luta para que os músicos tenham mais controle sobre suas produções.