Pulse

Ramones e os fãs, uma história de muito amor

Nossos leitores contam como foram influenciados pelos Ramones e quais as suas músicas favoritas da banda

Redação Publicado em 16/03/2016, às 15h59 - Atualizado às 16h10

Capa da edição 115 da Rolling Stone Brasil

Nesta terça, 15, divulgamos um trecho da reportagem de capa da edição 115 da Rolling Stone Brasil, sobre os Ramones, cujo primeiro disco completa 40 anos. Pedimos para nossos leitores escolherem as faixas favoritas e contarem algumas de suas histórias de vida permeadas pelo som do grupo.

Foi surpreendente: muita gente tinha memórias para recordar. Selecionamos abaixo 15 dos comentários deixados no Facebook e no site. Se sua história não está nessa seleção, aproveite o espaço de comentários ao final da página e também compartilhe como os Ramones influenciaram a sua trajetória.

O conteúdo abaixo foi editado para se encaixar nos padrões de texto da revista e do site.

Eduardo Lopes

– Mãe, compra um disco para mim?

– Qual?

– Ramones ou The Clash, qualquer um se tiver.

Ela voltou com o Rocket to Russia debaixo do braço e eu fui feliz para sempre.

Marcello Pedro:

Minha música favorita é “Mental Hell” e descobri Ramones quando comprei a camiseta deles em 1983, quando eu tinha 12 anos. Só fui de fato ouvir músicas deles em 1987, quando vieram para o Brasil e as faixas voltaram a tocar nas rádios... Gabba Gabba Hey!!!

Marlon Massacesi

Ramones faz parte da minha vida. Nunca vou esquecer o dia em que eu pedi para o cara da Lan House pra gravar um CD MP3 com vários rocks e ele não achou um dos que eu pedi. Falei: “Então, baixa Ramones”. E lá estavam “Blitzkrieg Bop”, “Poison Heart” e mais algumas. Quando cheguei em casa e coloquei pra tocar... mudou a minha vida, nunca tinha ouvido nada igual! Se tornou minha banda preferida de sempre. AMO RAMONES!

Ska Kelly Andrade:

O disco Rocket to Russia foi o primeiro que ouvi em casa e causei reclamação dos vizinhos, por causa do volume; do meu pai, por causa do visual que adotei; e do carinha que eu paquerava no ensino médio, porque passei a mostrar o dedo do meio para ele, hahahaha.

Marcão Mota De Souza Seaglue

Difícil escolher uma só música, mas posso citar “Cretin Hop”, do Rocket to Russia (meu disco preferido da banda) como uma das minhas favoritas dos Ramones. A primeira lembrança que me vem à mente, infelizmente, não é de quando ouvi pela primeira vez, mas da despedida da banda. Tive a sorte de presenciar a última turnê, ¡Adios Amigos!, indo aos três shows que fizeram em Sampa. Segunda, terça e quarta à noite no finado Olympia, na Lapa, em 1996. Nunca mais fui o mesmo desde então. Vi outros dois shows deles. Em 1992 e 1994, no mesmo Olympia. Lamentável não ter visto o show de 1987 com o Dee Dee, e não ter ido no show de 1991 no Dama Xoc, em Pinheiros. Justamente na noite em que eu iria mataram um cara no meio da pista! Perdi 99% do tesão de ver um show depois que os mestres do punk rock se aposentaram.

Paulo Bueno

Certo dia, aluguei Escola de Rock para ver com meu filho e, então, surge em uma cena a música “My Brain Is Hanging Upside Down (Bonzo Goes to Bitburg)”. Depois isso, meu filho sempre pede pra colocar essa faixa no rádio do carro.

Priscilla Gomes

Tenho predileção por “Poison Heart”. E toda vez que escuto Ramones lembro da minha adolescência , das férias, quando mais nova.

Ary D. Ramone

Os Ramones salvaram a minha vida... São tantas músicas para tantas histórias diferentes, mas “Poison Heart” é especial.

Ingrid Rodrigues

Ramones entrou na minha vida após assistir ao filme Cemitério Maldito, então não tem outra, é “Pet Sematary”.

Denilson Freitas

Nos 20 anos durante os quais tenho ouvido eu tive fases. Sempre tem uma preferida conforme o momento. “The KKK Took My Baby Away”, “My Brain Is Hanging Upside Down (Bonzo Goes to Bitburg)”, “53rd & 3rd” e as baladinhas sempre estarão entre as preferidas! É complicado perguntar a um fã de Ramones qual a pedrada favorita dos caras... é quase como perguntar a um pai ou uma mãe de qual filho eles gostam mais! Na dúvida, escolha um álbum inteiro... só mete RAMONES nessa porra aí, meu filho! HEY HO LET'S GO!!!

Wesley Diego Emes

Meu filho se chama Douglas em homenagem a Douglas Glenn Colvin. Os fãs vão entender.

William Ferreira Rocha

Memorável foi o dia em que ganhei um autógrafo do Mark... Porra, me senti feliz demais.

Mirianne Michel Silva

“I Don’t Want to Grow Up” é a que mais me emociona.

Hamilton Belmonte Oliveira

Cara, escutava dos 15 aos 25 anos antes de sair pra “festas”: “The KKK Took My Baby Away”, “Blitzkrieg Bop” e “I Wanna Be Sedated”, entre outras. A cerveja que tomava parecia que virava tequila, o som ia para a cabeça e os neurônios ficavam “adrenalizados”... Até hoje, quando escuto, o tempo volta, a energia aumenta. Não sou fã de ninguém na música, mas esta banda está na minha cabeça e vai ficar pra sempre. Hey ho let’s go.

Elton Romanini Freire:

Ao conhecer o som do Ramones percebi qual seria minha identidade musical! A banda mexia demais comigo, deixando-me sempre em um estado de satisfação e motivação.