Rapper Troy Ave é preso após tiroteio em show de T.I. em que uma pessoa morreu

Ele foi acusado de tentativa de assassinato e posse ilegal de arma; vítima fatal era o guarda-costas dele

Rolling Stone EUA Publicado em 27/05/2016, às 11h51 - Atualizado às 12h21

Troy Ave
Divulgação

O rapper de Nova York Troy Ave, que ficou ferido no tiroteio que aconteceu na noite da última quarta, 25, durante um show de T.I. no Irving Plaza, foi detido. Na ocasião, ele e mais algumas pessoas foram atingidas e um homem, guarda-costas de Troy Ave, morreu. O rapper foi acusado de tentativa de assassinato e posse ilegal de arma, de acordo com o departamento de polícia de Nova York.

Um vídeo das câmeras de segurança obtido pela polícia parece mostrar Troy Ave, cujo nome verdadeiro é Roland Collins, abrindo fogo no camarim do local. Ronald McPhatter, o guarda-costas, foi atingido e morreu. Os detalhes ainda não estão claros e o próprio Troy Ave foi hospitalizado naquela noite com um ferimento de bala na perna. Segundo o Daily News, Collins atirou contra ele mesmo por acidente.

O comissário da NYPD William Bratton gerou muita polêmica na manhã da última quinta, 26, quando falou para uma rádio local sobre "o mundo louco desses ditos artistas do rap que basicamente são bandidos que basicamente celebram a violência que eles cometeram a vida toda”. Segundo ele, “essa violência se manifesta com frequência nas perfomances deles e foi isso que aconteceu ontem à noite”. O prefeito de Nova York Bill Di Blasio logo deu uma declaração ao jornal The New York Times discordando das afirmações: "Eu acho que esse [armas de fogo] é um problema norte-americano que vai além de todos os outros problemas que temos que resolver".

De acordo com o Daily News, a polícia está aguardando o resultado do teste de balística para ver se aumentará a acusação de Troy Ave para assassinato.