Robert Redford fala sobre futuro de Sundance

Ator, que fundou o festival de cinema, tem esperança na nova presidência dos EUA e na internet como forma de distribuição

Da redação Publicado em 18/01/2009, às 13h36

A 25ª edição do Festival de Sundance foi iniciada nesta quinta-feira com a exibição da comédia Mary and Max e um discurso do fundador do evento, o ator Robert Redford, sobre o futuro do festival de produções independentes, a maior reunião do cinema norte-americano promovida fora do sistema de grandes estúdios.

Segundo a agência de notícias Reuters, Redford aposta em uma transformação nas artes e em novas formas de distribuição, como a internet, para driblar as perspectivas econômicas desanimadoras, que devem influenciar os caminhos do cinema.

Apesar da crise, segundo a reportagem, esta edição de Sundance apresenta o mesmo número de filmes do ano passado: cerca de 120 produções. Segundo a organização, a venda de ingressos aumentou com relação a 2008; no entanto, as reservas em hotéis na cidade tiveram queda de 6% em relação ao ano passado. A Reuters informa, ainda, que executivos de Hollywood e caça-talentos diminuíram o número de profissionais enviados para acompanhar o festival.

A posse de Barack Obama foi citada por Redford como outro fator que influenciou os números do encontro, pois há menos imprensa destacada para Sundance. O ator acrescentou que espera que a administração Obama seja mais aberta às artes.