Pulse

Rolling Stones se reúnem em exposição de fotos

“Temos tocado juntos, mas não ensaiado”, revelou o baterista Charlie Watts

Mark Sutherland Publicado em 14/07/2012, às 09h05

Rolling Stones
AP

Os Rolling Stones celebraram seus 50 anos com estilo na noite da última quinta, 12, ao se reunir para uma exibição de fotos em homenagem à carreira da banda.

A última aparição conjunta dos músicos havia sido na estreia do documentário Shine A Light, dirigido por Martin Scorsese, em 2008. Desta vez eles estiveram na Somerset House, em Londres, há exatos 50 anos do primeiro show que realizaram, em 12 de julho de 1962, no Marquee Club. Eles também divulgaram nesta semana uma foto dos quatro juntos em frente ao Marquee.

Rolling Stones 50 anos: uma carreira em fotos.

No tapete vermelho, o baterista Charlie Watts confirmou à Rolling Stone que a banda está tocando, embora tenha afirmado que “ainda” não há planos concretos. “Nós temos tocado, mas não ensaiado”, disse com um sorriso. “Tivemos boas sessões em Nova York há alguma semanas”, acrescentou o guitarrista Ronnie Wood. “Fizemos 50 músicas em cinco dias. Foi brilhante.”

Enquanto isso, o frontman Mick Jagger disse que estava contente com o fato de terem completado 50 anos juntos. “É um sensação realmente boa. É surpreendente. Parece mesmo ser bastante tempo, mas estou bem feliz com isto.”

Galeria: os dez clipes mais representativos dos Stones.

Mais tarde, dentro da exibição, que mostrou fotografias íntimas de momentos da banda, Jagger relembrou o show no agora inexistente Marquee Club, que a banda “reconstruiu” para a sessão de fotos no dia anterior.

“Eu me lembrei porque tivemos problemas em encontrar o ritmo”, brincou. Dick Taylor tocou baixo naquela noite, com o baterista podendo ser ou Tony Chapman ou Mick Avory, dependendo da versão da história em que você quiser acreditar. O grupo foi completado por Keith Richards e Brian Jones nas guitarras e Ian Stewart no piano. O ex-baixista Bill Wyman não se juntou a bordo até o final daquele ano, com Watts sendo integrado em 1963.

Jagger também notou que a banda – cuja grafia antes era Rollin’ Stones – só teve seu primeiro show porque o Blues Incorporated, grupo de Alexis Korner, com quem Jagger cantava, foi chamado para participar de uma gravação na rádio BBC. O vocalista lembrou sua decepção em não participar do programa (mais tarde a BBC declarou que só poderia pagar seis músicos, e não sete) foi minimizada ao ter sua nova banda tocando como residente no Marquee no lugar do conjunto de Korner.

Se passaram 50 anos e a banda causou furor ao estar no centro de Londres. Apesar da chuva forte, dúzias de fãs embarcaram no rio Tâmisa para conseguir ver alguma coisa da chegada dos músicos à mostra.

Os Stones chegaram 20 minutos mais tarde do que o planejado em um veículo prata e imediatamente posaram para fotos. Sorrindo bastante, Jagger e Richards mantiveram Wood entre eles com os braços dados em frente a uma multidão de fotógrafos. Jagger, vestindo um terno azul, sugeria aos seus colegas para mudar de lugar em busca de um ângulo melhor.

Ao final dos cliques, a banda permaneceu por poucos momentos no tapete vermelho, mas uma vez dentro da exposição, todos os quatro integrantes gastaram bastante tempo observando as fotos antigas e conversando com os convidados, entre eles os ex-integrantes Bill Wyman e Mick Taylor, Mick Hucknall, do Simply Red, o letrista Tim Rice, o escritor Ian Rankin e o guitarrista do Roxy Music Phil Manzanera.

Em grande parte da noite, Jagger e Richards permaneceram em áreas diferentes da festa. Richards, usando chapéu, olhou para as fotos com seu filho Marlon, conversou com o promoter do Live Aid Harvey Goldsmith e em determinado momento tirou o chapéu para alguns fãs que apontavam para ele do lado de fora por meio de uma janela aberta. Enquanto isso, Jagger conversava com suas filhas Lizzie e Georgia May perto da porta de entrada, do outro lado da exposição.

Dois anos depois da aparente briga desde que Richard lançou sua autobiografia, Vida, um pareceu estar feliz e relaxado com a companhia do outro, assim como pareciam em muitas das fotos antigas. Em determinado momento, Richards cochichou no ouvido de Jagger, como se estivesse compartilhando uma piada íntima, e os dois deram risada.

De fato, a união pareceu ser a ordem do dia, com Mick também junto ao baixista Wyman e conversando durante um bom tempo com Wood. Se essa harmonia vai levar ou não a novas gravações e turnês ainda não se sabe, embora Jagger já tenha comentado sobre pelo menos um show esse ano. Espera-se que a reunião dos membros em Londres facilite o avanço das discussões. Watts, no entanto, disse que a reunião se trata apenas de negócios, como o usual.

“Nós nunca nos separamos de verdade”, ele disse. “Trata-se apenas de viver em outra parte do mundo – bem, ele [Woods] não, mas os outros dois sim”.

A exposição na Somerset House permanece até o dia 27 de agosto, quando será lançado um livro com as imagens, Rolling Stones 50.