SPFW: Ronaldo Fraga leva cultura pernambucana às passarelas

Trilha-sonora do estilista contou com versão inusitada de clássico de Luiz Gonzaga; Glória Coelho, Alexandre Herchcovitch, V.Rom, Fernanda Yamamoto e André Lima também mostraram suas coleções no último dia da semana de moda

Por Patrícia Colombo Publicado em 15/06/2010, às 13h27

Ronaldo Fraga: "A música é a voz da moda"

Ver Galeria
(3 imagens)

Se as paredes da Bienal mostravam a expressão das artes plásticas de Salvador, Ronaldo Fraga seguiu a tendência ao oferecer um pouco da cultura nordestina nas peças de suas roupas. Em desfile realizado nesta segunda, 14, o estilista trouxe na temática da coleção privamera/verão 2011 a cultura pernambucana - não só nos looks, como também em uma trilha-sonora marcante, com direito a clássico de Luiz Gonzaga tocado em gaita de fole.

Além da própria coleção, Ronaldo, quase um faz-tudo, esteve envolvido na seleção musical do desfile. "Eu sou extremamente centralizador", revelou, em entrevista à Rolling Stone Brasil. "Então, quando eu levo a música para o DJ, eu falo 'você pode fazer qualquer negócio, contanto que seja isso! [risos] Eles, com a técnica, costuram o som, mas até na sequência da música eu já chego sabendo que é aquilo que eu quero." Criativo ao extremo, para a trilha instrumental Fraga convocou do recifense Naná Vasconcelos ao galego Carlos Núñez. Deste último, uma inusitada versão de "Asa Branca" executada em gaita de fole se destacou. "É do tipo 'Vou ouvir mil vezes e, ainda assim, vou chorar", brincou o estilista. "Ele grava Luiz Gonzaga com instrumentos da Galícia [Espanha], acho maravilhoso." Para Ronaldo Fraga, a moda não vive sem música. "A música é a voz da moda", filosofou. "Uma roupa na qual você não consiga bater o olho e imaginar a música é uma roupa muda e roupa muda não nos interessa."

A coleção, com diversas referências ao maracatu, teve presença predominante do branco e de tons pastel, em materiais trabalhados manualmente - fruto de um projeto desenvolvido por Fraga junto a sua equipe com um grupo de bordadeiras da cidade de Passira, no agreste pernambucano. "Estou falando de cultura pernambucana e isso significa festa, teatro, música, bordado, tudo ao mesmo tempo", explicou o estilista, que caracteriza a coleção como "extremamente feminina".

Encerrando a SPFW

Além de Ronaldo Fraga, que mostrou seu desfile às 17h, apresentaram suas coleções Glória Coelho (abrindo o dia, às 14h), no shopping Iguatemi, trazendo coleção "científica", com influências que vão da biologia à matemática, seguindo com a moda masculina de Alexandre Herchcovitch, inspirada no clássico de Stanley Kubrick Laranja Mecânica. A V.Rom mostrou estilo esportivo nas peças da moda masculina. Fernanda Yamamoto veio com coleção sobre São Paulo e André Lima encerrou a SPFW com a sofisticação de seus vestidos - daqueles dignos de tapete vermelho dos mais importantes eventos internacionais.

Noite Preta

Fora da série de desfiles, Preta Gil se apresentou no lounge da marca de produtos para cabelo Seda. Em setlist que mesclou Claudinho e Buchecha, Kelly Key, a funkeira Perlla e a "absoluta" Stefhany (a do Cross Fox) a clássicos de Jorge Ben Jor e Tim Maia, a filha de Gilberto Gil animou os presentes. "É berço, ecletismo", disse ela, justificando o mix musical. "Meu pai me ensinou a ouvir o Brasil. Ouvia Luiz Gonzaga desde pequena, mas também Michael Jackson."