Scalene e rapper BK se unem para música contra a posse de armas; ouça Desarma

Banda e rapper estão escalados para participar do Lollapalooza Brasil realizado entre os dias 5 e 7 de abril

Pedro Antunes Publicado em 29/03/2019, às 11h00

None
Gustavo Bertoni (à esq.), BK' e Tomás Bertoni (Foto: Divulgação)

"Toda vez que você fala que é mimimi, a bala vem de você". Poderoso, o rapper BK' dispara rimas e tem um alvo certo ali na mira. Amparada pela banda Scalene, sem cair numa roupagem de lugar comum quando essa fusão de gêneros acontece, a mensagem é poderosa e, infelizmente, atualíssima.

A posse de armas, facilitada a partir de um decreto assinado pela Presidência da República, é o foco de "Desarma", single da parceria entre banda e rapper, mas seu poder está em apontar a consequência do armamento da população:  medo, sangue e morte. 

"Tipo ter problema na educação e querer resolver no míssil", rima, em outro momento, BK'. "O colete que eu tenho é o que eu chamo de fé", ele diz.

Desenhada com peso, a canção tem explosões como os disparos narrados pelo rapper. Sangra na distorção e nos seus versos. Raivosa, sim, porque é que "rasga, mata e cala", como diz o refrão.

"Se as armas libertassem, a fábrica da Colt era o Jardim do Édem", diz BK'. Parece óbvio, certo? Mas, pelo visto, o dedo ainda precisa ser colocado nessa ferida.

Em tempos de debate político intenso, há quem esqueça do lado social das discussões. A vida que se esvazia com o sangue jorrado por um buraco de bala. BK' e Scalene trazem o problema mais para perto. A questão é urgente e precisa ser tratada.

"Eu tentava entender minimamente as ideias de quem era a favor a facilitação da posse de arma”, conta Gustavo Bertoni, vocalista do Scalene. “Esse assunto estava na minha cabeça mais no sentido do comportamento humano mesmo. Causas e consequências do medo.”

A parceria com BK' se deu rápido, porque rapper e banda estarão no alto dos palcos do Lollapalooza Brasil, a ser realizado entre os dias 5 e 7 de abril, no Autódromo de Interlagos. Scalene se apresenta sexta, 5, às 14h. Mais ou menos no mesmo horário, às 14h10, no domingo, é a vez de BK'.

A Rolling Stone Brasil adianta, em primeira mão, que BK foi convidado pela Scalene para uma participação no seu show e confirmou presença.

“Não queríamos que a música ficasse num lugar comum de rock com rap e acho que conseguimos", celebra Tomás Bertoni, irmão de Gustavo e também da Scalene. "Os versos estão com um instrumental que poderia ser dos dois estilos e o refrão ficou bem mesclado também, uma melodia diferente do que talvez fizéssemos em uma música só do
Scalene, mas que ainda tem a nossa cara”, avalia.

"Desarma" foi gravada no estúdio Casa do Mato, no Rio e Janeiro. Scalene chegou ao local com o tema e a ideia instrumental definidos. “A gravação acabou rolando mais rápido do que imaginávamos, em poucos takes já estava pronta”, lembra Tomás.

Produzida por Diego Marx e Saudade, mixada e masterizada por João Millinet, "Desarma" ganhou um lyric-vídeo, que pode ser assistido abaixo, nesta sexta-feira, 29.

Abaixo do player, é possível ler a letra da canção:


Letra de "Desarma"

"Eles vão matar mais inocentes, com a desculpa que na guerra
sempre morrem inocentes
tanto peso nos jogando pra baixo
mas fazemos força, seguimos em frente
uns caminham no tapete vermelho
outros só caminham no vermelho
É e no país inteiro
guerra de Primeiro, Terceiro e Comando
se as armas libertassem
a fábrica da Colt era o jardim do Éden
Eles falam sobre segurança
pensam que nós somos crianças
eles só mentem
tipo ter problema na educação
e querer resolver com míssil
o problema não é ele falar que é a salvação
e sim acreditarem nisso"

"A raiva rasga, mata e cala
a morte paira ali com você
a vida cai, desgasta e fala
que arma, que arma, que arma, que arma o quê?"
(x 2)

"Eu ouço tiros lá fora
alguém me tira daqui
Eu ouço gritos e agora
meu deus alguém vai cair
O colete que eu tenho
é o que chamam de fé
Que também é minha arma
e ainda me mantem em pé
Uma palavra mal usada
é tipo um tiro no peito
Me fuzilam com olhares
me degolam com dedos
que me apontam e me julgam
pelo o que eu sou e de onde eu venho
maior o tamanho da arma
o tamanho do seu medo"

"Eu olho pros céus esperando milagres,
mas traçantes chamam minha atenção
Eu olho pros meus
que não querem migalhas
mas é tudo que eles dão
Uns falam sobre merecer
meus manos não sabem o que é ser
nem o que é ter
Toda a vez que tu fala que é mimimi,
a bala vem de você"

"A raiva rasga, mata e cala
a morte para ali com você
a vida cai, desgasta e fala
que arma, que arma, que arma, que arma o quê?"
(x 2)