Pulse

Scorpions a todo vapor

Na última turnê da carreira, banda faz show eletrizante no Olympia, em Paris; "Queremos que os fãs fiquem com essa boa imagem da gente, enquanto estamos no topo", diz o guitarrista Rudolf Schenker

Por Gio Gasparini, de Paris Publicado em 24/05/2010, às 15h12

Scorpions no Olympia, em Paris: prestes a se aposentar, banda ainda reúne fãs fervorosos em shows

Ver Galeria
(2 imagens)

Quem nunca dançou ao som de "Rock You Like a Hurricane" que atire a primeira pedra. O Scorpions é sem dúvida uma daquelas bandas que transcende gerações: filhos e netos dos fãs que conheceram o grupo na década de 70 hoje vão aos shows, celebrando tanto os clássicos, como "Big City Nights", quanto as músicas mais recentes, a exemplo de "Sting in the Tail". E foi assim, com o público cantando junto, que correu o show da banda na última quarta-feira, 19, na lendária casa de shows Olympia, em Paris.

A Get Your Sting and Blackout World Tour, que promove o disco Sting in the Tail e chega ao Brasil em setembro, não é só mais uma maratona de shows. É a última de uma longa carreira (a banda anunciou a aposentadoria no início deste ano). Rudolf Schenker, guitarrista da banda, explica a decisão: "Por mais que esse último álbum esteja fazendo muito sucesso e tenhamos ganhado vários prêmios, além de ter entrado para o Rock Walk of Fame, essa é nossa última turnê. Queremos que os fãs fiquem com essa boa imagem da gente, enquanto estamos no topo".

Se é para terminar "no topo", o Scorpions está fazendo um excelente trabalho. O show no Olympia foi eletrizante. Matthias Jabs, guitarrista, e Pawel Maciwoda, baixista, sempre bem-humorados, faziam o público sair do chão com técnica e empolgação. Schenker, um cara gentil e tranquilo na vida real, virou no palco um "ser brutal". O músico, hoje com 62 anos, impressiona pela boa forma física, chegando a quase abrir um espacate no meio da apresentação. Já Klaus Meine, o vocalista, esbanja carisma e faz com que todos se sintam como se estivessem vendo o grupo tocar só para eles, na sala de suas respectivas casas, com uma voz ainda potente e precisa.

O baterista, James Kottak, também é um exemplo de energia, como comprova no momento em que, sozinho no palco, dá um show de habilidade nas baquetas enquanto dois telões mostram um vídeo com referências ao cinema experimental à la Maya Deren. Nas imagens, ele aparece em cenas que reconstituem capas dos discos da banda.

Os cinco integrantes atuais dão um senso de unidade ao Scorpions, mas apenas Klaus e Rudolf são da formação original (mais de dez músicos diferentes já passaram pela banda). Eles até acreditam que para um grupo funcionar é preciso fazer de tudo para manter sua formação original, como disse certa vez Joe Strummer, do The Clash - mas sabem que nem sempre é possível fazer com que isso aconteça. "Ele estava obviamente certo, mas não podemos obrigar as pessoas a ficarem na nossa banda, que vive em turnê e não para em casa, quando o que eles querem ter uma vida diferente", diz Schenker. "O importante é manter a mesma filosofia da banda do começo ao fim, coisa que sempre fizemos. E nisso, nós estamos certos."

São 45 anos de Scorpions e muitas histórias. Klaus Meine lembra do começo da banda, quando ele e seus companheiros ainda não eram conhecidos e dormiam dentro do caminhão que levava o equipamento (e os integrantes) para os shows. "Ficávamos com as marcas dos amplificadores na cara porque dormíamos em cima deles", se diverte o cantor. Aos risos, ele também se recorda do carinho que os fãs lhe deram no decorrer das décadas - uns até demais. "Um fã que adorava a banda pulou em cima de mim. Demorou uns dez minutos para os seguranças conseguirem me tirar de lá. Fiquei muito lisonjeado. O problema é que o cara era enorme e quase morri sufocado!" Schenker também tem boas memórias para contar. "O Brian Johnson [vocalista do AC/DC] veio participar de um show nosso e enquanto ele cantava, Klaus pulou nas costas dele e juntos se jogaram na plateia ao estilo de Angus [Young, guitarrista do AC/DC] e ficaram nos vendo tocar 'Rock You Like a Hurricane' lá de baixo."

Para os fãs brasileiros, a última oportunidade de conferir o Scorpions ao vivo acontecerá em setembro. Por enquanto, a banda tem três shows confirmados: em São Paulo (19/9, Credicard Hall), Brasília (22/9, Ginásio Nilson Nelson) e São Luís (24/9, Centro Histórico).