Sean Penn rodará filme na Venezuela, diz Hugo Chávez

De acordo com o presidente do país, ator filmará romance baseado em livro do cubano Alejo Carpentier

Da redação Publicado em 29/10/2009, às 11h51

O próximo projeto de Sean Penn poderá levá-lo a uma temporada na Venezuela. A ideia é dirigir, no país, um filme baseado em romance do escritor cubano Alejo Carpentier. A informação veio de ninguém menos que Hugo Chávez, presidente venezuelano, na rede televisiva estatal VTV.

"Sean Penn me disse que está muito interessado em fazer um filme, (...) que deve, muito provavelmente, ser rodado em nosso país", disse.

O livro de Carpentier que serviria de base para a produção não teve título revelado, mas Chávez deu pistas. Por se passar nas selvas do Orinoco, em Canaima (sudeste da Venezuela), a história se assemelha a um romance publicado em 1953. Os Passos Perdidos tem como protagonista um musicólogo que, para escapar do ritmo frenético de Nova York, viaja para um lugar ermo no mundo, onde procura instrumentos musicais indígenas. Uma vez na floresta, ele acompanha alguns dos acontecimentos históricos mais importantes da América Latina.

Chávez deu a entender que o ator assumiria a direção, papel exercido em filmes como Na Natureza Selvagem (2007).

Morto em 1980, Carpentier manteve relações amigáveis com o governo socialista de Cuba, chegando a exercer funções de destaque na imprensa na ilha, então sob comando de Fidel Castro. Dois anos antes de morrer, ele teve um livro seu, El Recurso del Método, apresentado no Festival de Cannes por meio de adaptação do cineasta chileno Miguel Littin.

As relações entre Penn e uma América que não se resuma à do Norte não param por aí. De acordo com a imprensa internacional, o ator teria viajado dias atrás para Cuba com a missão de entrevistar Fidel Castro. O saldo da conversa - que tocaria em pontos como o diálogo entre o governo cubano e a administração de Barack Obama - seria transformado em um artigo para a revista norte-americana Vanity Fair.

Penn já entrevistou, no ano passado, Chávez e Raúl Castro, que já era presidente interino e assumiu o maior posto do governo de Cuba naquele ano, lugar previamente ocupado por Fidel, que está com a saúde debilitada.

Chávez acrescentou, na emissora pública, que política foi um tópico entre ele e Penn, que deve se encontrar com Obama, presidente dos EUA, em breve. O político disse que mandou um recado ao colega norte-americano: que ele deve agir para fazer jus ao Prêmio Nobel da Paz recebido no começo do mês, e que deve abandonar o plano de instalar bases militares na vizinha Colômbia (nada feito: o acordo foi oficializado esta semana).

"Eles deram a ele o Nobel da Paz, muito bem, agora ele deve fazer por merecer", afirmou Chávez, parafraseando uma afirmação do documentarista Michael Moore, de quem se declarou fã. Numa entrevista ao apresentador Jimmy Kimmel, na ABC, o diretor de Capitalismo: Uma História de Amor afirmou que os dois beberam tequila numa festa do Festival de Veneza deste ano - onde o mandatário passou para prestigiar South of the Border, documentário sobre ele feito por Oliver Stone. No festival europeu, ele também esbarrou com a rockstar Courtney Love.

Penn não é a única visita ilustre do entretenimento que Chávez recebe em sua residência presidencial. Já passaram por lá a modelo Naomi Campbell e os atores Danny Glover e Benicio Del Toro, entre outros.