Novo álbum do Smashing Pumpkins sairá de graça na rede

As 44 músicas de Teargarden by Kaleidyscope deverão chegar em levas de quatro; tarô inspira trabalho

Da redação Publicado em 17/09/2009, às 09h56

O Smashing Pumpkins pretende pôr na rede álbum, "para todos em qualquer lugar" baixarem de graça, anunciou em seu blog Billy Corgan, frontman da banda norte-americana.

Serão 44 faixas, liberadas em parcelas, de Teargarden by Kaleidyscope. A primeira deve chegar no final de outubro, "próximo ao Halloween", segundo Corgan.

O álbum começou a ser gravado recentemente - na terça, 15, para ser mais preciso. A banda trabalha, primeiramente, em quatro faixas. E a gratuidade do disco foi enfatizada em mais de uma ocasião. "De graça significará de graça, você não vai precisar assinar nada, dar um endereço de e-mail, ou pular por dentro de um arco."

Já no ano passado, o grupo comemorou a alforria em relação às grandes gravadoras. "Estamos livres", disse Corgan, que desde então comentava os planos de distribuir canções sem intermédio da indústria. "Saímos do purgatório. E estamos empolgados para levar todo mundo ao território aberto que são as novas mídias."

Mas nem tudo será entregue de mão beijada. A banda aderiu a estratégias cada vez mais usadas, que consistem em soltar o grosso do trabalho na rede, e oferecer a fãs mais fiéis (e/ou endinheirados) edições exclusivas. No caso, o Smashing Pumpkins terá 11 EPs limitados, com quatro músicas cada.

Corgan explica a dinâmica de forma didática: "Porque as próprias músicas serão gratuitas, os EPs se assemelharão mais a itens de colecionador para os fãs que queiram a arte, junto à qualidade sonora mais alta disponível".

Quando o álbum estiver completo, a banda ofertará uma edição deluxe - e que os compradores dos EPs separem mais dinheiro, caso estejam interessados, pois "a box não será uma junção das edições limitadas".

O conceito de Teargarden by Kaleidyscope foi tomado do tarô, revelou Corgan - que, recentemente, inaugurou site espiritual "para discutir abertamente e sem medo a integração entre corpo-mente-alma". A história se baseará "na 'Jornada do Louco', como significada no progresso do tarô". O grupo pretende trabalhar com quatro personagens: Criança, Louco, Cético e Místico.

Corgan também prometeu uma volta "às raízes psicodélicas do Smashing Pumpkins: atmosférica, melódica, pesada e bonita".

Não é a primeira vez que a banda cede um álbum inteiro aos fãs. Em 2000, quando os meios para se trocar arquivo soariam pré-históricos em comparação aos de hoje (a primeira versão do Napster é de um ano antes), Machina II/ The Friends & Enemies of Modern Music foi liberado gratuitamente na rede. O álbum representou, ainda, uma quebra dos Pumpkins com a gravadora Virgin.