Strokes presenteia fãs com hits no Planeta Terra

Banda encantou público com faixas de seus quatro álbuns de estúdio em apresentação realizada na madrugada deste domingo, 6

Patricia Colombo Publicado em 06/11/2011, às 04h13 - Atualizado às 14h23

Strokes presenteia fãs com hits no Planeta Terra Festival 2011

Ver Galeria
(3 imagens)

Atração principal da edição de 2011 do Planeta Terra Festival, o Strokes deu aos fãs que compraram seus ingressos meses antes do evento o que eles esperavam: uma boa apresentação, cheia de hits, desta que é uma das bandas mais importantes dos anos 2000. Os discos Is This It (2001), Room of Fire (2003) e First Impressions of Earth (2006) marcaram presença em peso no repertório da noite.

Leia textos das edições anteriores da Rolling Stone Brasil – na íntegra e gratuitamente!

Liderados por Julian Casablancas, os integrantes subiram ao palco à 1h35 abrindo com “New York City Cops”, seguida por “Heart in a Cage” e “Machu Picchu” (esta última pertencente ao álbum de inéditas mais recente da banda, Angles, lançado neste ano). Do início ao fim do show, a empolgada plateia acompanhou o grupo com coros, palmas e gritos – arrancando sorrisos do vocalista, que se mostrou bem humorado durante a apresentação. “The Modern Age”, “You Only Live Once”, “Is This It” deram sequência. “Tudo bom? Muito obrigado!”, disse Casablancas, em português. “We love you!” (“Nós amamos vocês”).

Nos últimos anos muito se ouviu comentar sobre brigas e diferenças entre os integrantes (o que teria até contribuído para a demora do lançamento de Angles, que saiu cinco anos após First Impressions of Earth) – e, de fato, no palco há pouca interação entre eles. Em um dos raros momentos de descontração, Julian passou o microfone a Fabrizio Moretti, para que o baterista brasileiro dê seu “alô” aos conterraneos. “E aí, São Paulo! Eu te amo!”, brincou ele. Independente das relações na banda, os músicos demonstraram carinho com relação aos brasileiros (Nikolai Fraiture, que comanda o baixo, amarrou a bandeira nacional em suas costas em dado momento).

O repertório ainda contou com músicas como “Someday”, “What Ever Happened?”, “12:51”, “Reptilia”, "Gratisfaction" , “Automatic Stop”, “Last Nite”, “Under Control”, “Juicebox”, “Hard to Explain” e “Take it or Leave It”. Do disco novo ficou faltando o single “Taken for a Fool”, provavelmente uma das melhores faixas do trabalho. Em alguns momentos, o microfone de Julian ficava com volume baixo, mas nada que prejudicasse muito o andamento do show. A apresentação foi encerrada às 3h.