The Temptations processa a Universal

O grupo de cantores quer metade dos lucros líquidos adquiridos com downloads das músicas deles

Rolling Stone EUA Publicado em 16/03/2012, às 10h59 - Atualizado às 11h10

O The Temptations é um dos múitos músicos da Motown representados em caixa de primeiros lugares nas paradas mundiais
Reprodução

O grupo The Temptations é o mais novo nome da música a entrar com um processo exigindo os royalties não recebidos referentes a downloads digitais. De acordo com o site da revista norte-americana Billboard, o grupo vocal entrou com ação contra o Universal Music Group em uma corte federal da Califórnia pedindo milhões de dólares procedentes dos lucros obtidos com downloads e ringtones, afirmando que essas vendas contam como licenças, o que dá a eles o direito à metade da receita líquida.

O processo do Temptations vai além do contrato de outros artistas no catálogo do UMG que tenham contratos parecidos, incluindo James Brown, Eric Clapton, Guns N' Roses, Nirvana, The Police e The Who. Contratos com taxas diferentes para vendas físicas e licenças eram extremamente comuns em grandes gravadoras entre 1976 e 2001.

Uma ação movida por Eminem, no ano passado, abriu um precedente para que vendas digitais contem como licença em vez de como uma venda tradicional (LPs e CDs). Muitos outros artistas, incluindo Peter Frampton, Toto, Public Enemy e Kenny Rogers, estão em batalhas legais semelhantes na esperança de conseguir obter esses royalties que não foram pagos, e aumentar a taxa a qual têm direito no futuro. A Sony recentemente pagou US$ 8 milhões em um acordo para encerrar o processo que estava sendo movido por artistas como Cheap Trick, The Allman Brothers Band e The Youngbloods.