The Cult: “Meu negócio é estar no palco, não ficar pensando sobre o nosso status dentro do rock”, diz Ian Astbury

Banda se apresentou no São Paulo Trip e faz show em Brasília neste sábado, 23

Paulo Cavalcanti Publicado em 22/09/2017, às 09h09 - Atualizado às 12h54

Intenso
Astbury ao vivo em Nottingham, Inglaterra, em 2016
RMV/REX/Shutterstock/AP

Com mais de 30 anos de carreira, diversos hits e álbuns clássicos no currículo, o grupo inglês The Cult, que se apresentou na última quinta, 21, no São Paulo Trip, e sobe ao palco em Brasília neste sábado, 23, tem méritos de sobra para entrar no rol de bandas lendárias, ainda que o vocalista Ian Astbury não ligue muito para isso. “Esse negócio de prêmios, qualificações, Hall da Fama do Rock é muito chato”, declara. “Meu negócio é estar no palco, não ficar pensando sobre o nosso status dentro do rock.”

A vontade de estar diante do público geralmente se revela na preferência por casas de shows menores, mas a passagem por São Paulo foi um bem-vindo desvio de rota. “Tocar na mesma noite que o The Who é um privilégio para poucos. A gente se encontrou algumas vezes com Pete Townshend e Roger Daltrey. Pete é um cara honesto e subestimado, que nunca gostou do glamour.”

Billy Duffy, guitarrista do The Cult, uma vez declarou preferir um setlist “pragmático”, sem nada imprevisível. E, ainda que no Brasil a lista de canções do show passe necessariamente pelos hits, o cantor discorda do companheiro de banda. “Dane-se o pragmatismo! Eu acho que a gente tem que tocar o que der na telha. Mas, claro, não podem faltar ‘Fire Woman’ e ‘She Sells Sanctuary’ ou não nos deixam sair vivos.” Algumas canções de Hidden City (2016), o mais recente álbum da banda, também devem aparecer.

Aproveitando o fato de que Astbury esteve em um festival em meio a diversas outras lendas do rock, vale lembrar que em 2002 o vocalista fez parte do projeto The Doors of the 21st Century, ao lado de Ray Manzarek (o tecladista morreu em 2013) e Robbie Krieger (guitarra), dois dos integrantes remanescentes do grupo antigamente era liderado por Jim Morrison. “O The Doors, em sua época áurea, mesmo com todo o sucesso que fazia, nunca se apresentou em grandes estádios ou em outros locais fora dos Estados Unidos. E tivemos a chance de fazer isso. Pena que durou pouco.”

The Cult

23 de setembro, sábado, às 21h30

Net Live - SHTN, Trecho 2, Conjunto 5, Lote A - Asa Norte, Brasília – DF

Ingressos: www.eventim.com.br