Thom Yorke aparece em Copenhague

Líder do Radiohead foi à conferência da ONU sobre o clima, a COP-15, para "ver o que estava acontecendo de verdade, porque tenho lido os blogs por dias e eu não consigo entender muito bem"

Da redação Publicado em 18/12/2009, às 11h39

Thom Yorke fez visita inesperada à 15ª Conferência das Nações Unidas sobre mudanças climáticas, a COP-15, em Copenhague. O encontro, que termina nesta sexta, 18, reuniu os principais líderes mundiais na cidade dinamarquesa para tentar estabelecer metas conjuntas de reversão à degradação ambiental. Para "ver o que está acontecendo de verdade", Yorke fez questão de passar por lá com uma credencial de imprensa - passe bastante limitado nos últimos dias da conferência.

"Queria ver o que está acontecendo de verdade, porque tenho lido os blogs por dias e eu não consigo entender muito bem. Não faz muito sentido", disse o líder do Radiohead à Grist TV, especializada em noticiário verde. "Outra razão pela qual estou feliz de ter vindo é que eles parecem ter colocado as ONGs para fora, o que eu acho que é absolutamente revoltante, porque são essas as pessoas que mantiveram a discussão quando ninguém mais deu a mínima."

Com o aumento do fluxo de chefes de Estado, a COP-15 fez severa restrição à presença de ONGs nos últimos dias. De sete mil credenciados no começo da semana, os representantes da sociedade civil passaram a ser 300 na quinta, 17, informou à agência de notícias AFP Axel Wuestenhagen, coordenador da COP-15. Nas proximidades do Bella Center, onde ocorre a conferência, registrou-se choque entre manifestantes e forças policiais.

Yorke afirma que, se não fosse a credencial de imprensa, não conseguiria estar lá. "Vamos ver quanto tempo dura até eu ser chutado para fora."

O ativismo ambiental do músico não é novidade. No ano passado, Yorke se envolveu em uma campanha denominada "Big Ask", que pressionou as autoridades para emplacar uma lei que prevê corte de 80% das emissões de carbono no Reino Unido. Este ano, ele colaborou com A Era da Estupidez, filme sobre os reveses da ação humana no meio ambiente.

"O que me incomoda é chegar ao fim das negociações fingindo que algo aconteceu, quando não aconteceu", declarou Yorke. Após uma semana de negociações travadas, um rascunho de documento vazado na manhã desta sexta sinalizava desfecho frouxo na COP-15. As lideranças se comprometem a limitar o aquecimento global a dois graus Celsius e a montar fundo de R$ 100 bilhões por ano para ajudar na adaptação das nações em desenvolvimento. Acordos internacionais, no entanto, devem ficar para o ano que vem.

Veja o vídeo da entrevista de Yorke no Bella Center: