Tributo a Michael Jackson

Redação Publicado em 08/07/2009, às 16h24

Michael Jackson estampa uma das versões de capa da <i>Rolling Stone Brasil</i> de julho

Ver Galeria
(13 imagens)

Neste mês, a Rolling Stone Brasil apresenta um especial de 21 páginas sobre Michael Jackson. Abaixo, você confere trechos dos textos:

A Estrela Partida

Por Ricardo Franca Cruz

Se não é o homem mais famoso a surgir na Terra nos últimos 50 anos, Michael Jackson é certamente um dos mais. Nenhum outro artista da cultura contemporânea se manteve em evidência durante tantos anos, nenhum outro atingiu tão amplamente, seja com a música, a figura icônica, os atos e trejeitos, um público de variadas faixas etárias, procedências, crenças e culturas. Nenhum subiu tão alto. E nenhum afundou tão profundamente. Talvez apenas um astro com a grandeza universal de Michael Jackson conseguiria resistir a uma montanha-russa de superexposição tão intensa e agressiva como a que foi obrigado - talvez por seus próprios feitos - a suportar ao longo da carreira. Leia mais.

Garotos do Futuro

Por Ben Fong-Torres

O prefeito Richard Gordon Hatcher assume seu lugar atrás do púlpito na Câmara de Gary, Indiana. Ele está esperando os cinegrafistas ajeitarem suas luzes e o burburinho diminuir . É 31 de janeiro, o Dia do Jackson 5 na cidade. Lá, a soul music manda. Eles iriam trazer o Jackson 5 de helicóptero e botá-los para desfilar até a velha casa na 23ª com a Jackson Street e o prefeito pretendia renomear a rua como " Jackson 5 Street" por toda a semana. O plano incluía colocar um marco em frente à casa onde Joe e Kathy Jackson criaram sua família de nove pessoas. E depois disso haveria a cerimônia na prefeitura. Leia mais.

Será que Michael Jackson É de Verdade?

Por Michael Goldberg e David Handelman

Imagine o tamanho da manchete que um tabloide daria se conseguisse a seguinte notícia: Michael Jackson compartilha suíte de hotel com "amigo ator". A qualidade de solteirão perene de Jackson - que, aos 29 anos, ainda mora com a mãe - é um dos mistérios que permitem à mídia se refestelar com fofocas e especulações. Mas, desta vez, a história é real. Até Frank Dileo, empresário de Michael Jackson, confirma. Quando Michael der início à sua primeira turnê solo em Tóquio, neste mês [ setembro de 1987], vai compartilhar sua suíte de dois quartos com um de seus melhores amigos que, de fato, é ator. Michael até ajudou a conseguir um agente para ele; pode ser que você o tenha visto na comédia De Volta às Aulas (1986). O amigo de Michael tem três anos e se chama Bubbles. Bubbles é um chimpanzé. Leia mais.

Fabricando o Rei do Pop

Por Michael Goldberg

Os sete anões estão cantando. Suas vozes saem de alto-falantes escondidos entre as árvores e da incrível flora que cerca a mansão de Michael Jackson, em Neverland Valley - seu oásis de 1.092 hectares e US$ 22 milhões no Vale de Santa Ynez, uma hora ao norte de Santa Barbara, Califórnia. "O Xanadu particular de Michael", como seu amigo, o diretor John Landis, descreve. Em Neverland, Jackson criou um ambiente escondido e protegido, longe de executivos, advogados, gerentes, VIPs dos canais musicais de TV e até de seus familiares. Aqui, ele pode ficar na frente de casa e os únicos barulhos que escuta são os pássaros nos carvalhais e plátanos e, claro, os Sete Anões. Se ele decidir olhar além do amplo lago em frente à sua casa de campo de três andares em estilo Tudor, além do belo gramado e dos canteiros de flores bem cuidados, das estátuas de bronze de meninos tocando tamborins ou acordeões de brinquedo, ele vê simplesmente uma colina tranquila, pontuada por carvalhos. Leia mais.

Morte e Mistérios na Corte do Pop

Por Paulo Terron

"Homem de 50 anos - não está respirando". Foi assim, de forma completamente anônima, que começou o atendimento a Michael Jackson, às 12h21 do dia 25 de junho de 2009. Um raro momento no qual a maior estrela da música pop mundial passou incógnito. O texto veio da central de emergência de Luiz Angeles e foi despachado para os paramédicos dos bombeiros, que atenderam o cantor e o transportaram até o Ronald Reagan UCLA Medical Center, onde o cantor deu entrada às 13h14. Um time de especialistas, incluindo médicos da emergência e cardiologistas, tentou ressuscitar Jackson por mais de uma hora, sem sucesso. Ele foi declarado morto às 14h26. "Acredita-se que ele tenha sofrido uma parada cardíaca", explicou o irmão Jermaine - e ex-Jackson 5 - em um breve pronunciamento. "Mas a causa da morte só será conhecida quando os resultados da necropsia forem conhecidos." A dúvida da família, no caso, foi explicitada pelo advogado Brian Oxman, que já foi representante legal dos Jackson (o atual é Londell Mcmillan, e "ninguém mais pode falar em nome da família", disse ele em um comunicado). "Eu avisei sobre o uso de drogas de distribuição limitada e a respeito de pessoas que permitiram acesso a esses remédios", disse à rede d e T V norte-americana CBS. "Não sei o quanto ele tomou, não sei qual foi a situação dele nas últimas semanas. Nos últimos anos eu disse a integrantes da família Jackson que ele era medicado excessivamente." Leia mais.