Virada Cultural - Rita Lee executa hits e critica políticos em show

Cantora abriu o evento paulistano em apresentação lotada no palco Júlio Prestes

Por Patrícia Colombo Publicado em 17/04/2011, às 12h39

Beto Lee e Roberto de Carvalho, durante a apresentação da cantora

Ver Galeria
(3 imagens)

Rita Lee foi a responsável por dar início à Virada Cultural 2011, neste sábado, 16. A cantora, em apresentação de uma hora de duração no palco Júlio Prestes, executou hits de sua carreira, valendo-se também de uma homenagem ao rei do pop Michael Jackson, um discurso raivoso contra os políticos brasileiros e alfinetada ao Rock in Rio.

Minutos depois dos ponteiros do relógio marcarem 18 horas, a cantora, maior representante feminina do rock brasileiro, subiu ao palco acompanhada de sua banda-família (que conta com o "namorado há 35 anos", como ela mesma descreveu, Roberto de Carvalho, e o filho Beto Lee, ambos assumindo as guitarras) e fez show com repertório baseado em alguns de seus grandes sucessos, encaixando-o perfeitamente ao evento - cujo público é composto não só por verdadeiros fãs da cantora, mas também por aqueles que tem conhecimento apenas no que se refere aos hits. Estiveram lá, caminhando por várias fases da carreira da artista, "Agora Só Falta Você", "Bwana", "Saúde", "Doce Vampiro" (momento em que o palco foi tomado por uma iluminação vermelha que tornou a imagem homogênea ao ser somada ao cabelo de Lee e à camiseta de mesma cor, trajada por ela), "Banho de Espuma", "Lança Perfume", "Erva Venenosa" e "Flagra". Logo no início do show, Rita não perdeu a oportunidade e deu uma cutucada ao Rock in Rio, festival cuja edição de 2011 acontece entre os dias 23 de setembro e 2 de outubro, no Parque Olímpico Cidade do Rock, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. "O Rock in Rio, perto da Virada, é um cemitério musical", disse ela.

O local estava lotado e o público acompanhou em coro diversas faixas. Porém, dois momentos da noite foram destaque: a presença de um cover de Michael Jackson que fez performance ao som de "Bad" (aliás, apesar de se tratar de uma homenagem, pode-se dizer que o momento foi um pouco desnecessário, já que quebrou, de certa forma, o clima do show) e o ataque de Lee à política nacional durante a execução de "Ovelha Negra". Na ocasião, imagens da cantora foram exibidas no palco - desde registros da infância até os dias de hoje, contando com fotos da época dos Mutantes e vídeo com Elis Regina, referente à faixa "Doce Pimenta". Em determinado momento da canção, Rita falou: "São Paulo é a ovelha negra do país. Entra governo e sai governo, entra prefeito e sai prefeito, e eles não fazem p**** nenhuma. Tirem essas bundas das cadeiras, seus babacas. São Paulo, que leva o Brasil nas costas, está suja, abandonada. Quero que todos os políticos se f****!" A Virada Cultural é organizada pela prefeitura da capital paulista, e esta, segundo dados, gastou R$ 8 milhões com o evento. A fala da cantora foi aprovada pelos presentes, seguida de gritos e aplausos.

Ela e banda deram tchau às 19h10. "Vocês não poderiam ser mais gracinhas", brincou. "Adorei, obrigada São Paulo". Ainda no palco da Júlio Prestes tocarão o norte-americano Edgar Winter, Misfits e outros.