Virada Cultural - Talento confirmado

Chico Pinheiro apresentou seu dedilhado perfeito

Por Antônio do Amaral Rocha Publicado em 17/04/2011, às 11h40

Na abertura da Virada Cultural 2011, no Palco Líbero Badaró, dedicado ao jazz e suas variantes, o compositor, violonista e guitarrista Chico Pinheiro abriu os trabalhos, às 19 horas do sábado, 16. Um desafio para um músico ainda pouco conhecido do grande público - talvez por isso a plateia mirrada do show -, mas que já tem lugar garantido no primeiro time da música brasileira. P

Cerca de 500 pessoas assistiram à sua performance ao lado da banda formada por teclado, baixo e bateria. Chico tocou um repertório de dez temas baseados em seus quatro discos: Meia-Noite, Meio-Dia (2003), Chico Pinheiro (2005), Nova (2007) e o recente Flor de Fogo (2010), além da clássica "Nanã" (Moacir Santos). A cantora Luciana Alves, de técnica apurada, e que também participa de Flor de Fogo, deu canja em quatro músicas e foi muito aplaudida na sincopada "Se Depender de Mim" (Chico e Paulo César Pinheiro).

Chico é um virtuose, com um dedilhado perfeito, e entra no seleto grupo dos expoentes do jazz contemporâneo. É uma refrescante novidade no cenário da música brasileira moderna. Apesar de fazer uma música sofisticada, sua apresentação de exatos 60 minutos foi acompanhada com atenção quase religiosa. O público pediu bis e não foi atendido com pedidos de desculpas de Chico, que afirmou não poder estourar o tempo estabelecido.