Como Davi contra Golias, Woodkid enfrenta os próprios medos e reafirma a força da música em tempos de pandemia

Com o novo single "Goliath", o artista francês inicia uma era inédita de sons sintéticos, industriais e "corroídos por ácido"

Igor Brunaldi Publicado em 12/05/2020, às 12h00

None
Woodkid (Foto: Divulgação)

Yoann Lemoine, mais conhecido pelo pseudônimo artístico Woodkid, está de volta ao mundo da música, e mais épico do que nunca. No dia 24 de abril, ele lançou o single "Goliath", acompanhado por um vídeo que, apesar de ter sido idealizado um bom tempo antes do mundo ser assolado pela pandemia do novo coronavírus, traz um peso surpreendentemente relevante ao momento no qual vivemos.

Foi lá atrás, em 2013, que o cantor, compositor, diretor de clipes e designer francês lançou The Golden Age, disco de estreia da carreira e jornada como Woodkid, responsável pelos hits "Iron", "Run Boy Run" e "I Love You", todos com clipes aclamados e icônicos dirigidos por ele mesmo.

E como aprendem os mais sábios, o tempo nos ensina, dentre várias outras lições, que quanto mais achamos que sabemos das coisas, mais percebemos que não sabemos de nada. E foi exatamente isso que Lemoine descobriu anos depois do lançamento do primeiro álbum.

Em entrevista à Rolling Stone Brasil, o músico contou um pouco sobre esse crescimento pessoal e criativo, além de falar sobre a importância da música em tempos de isolamento e desespero social.

Apesar de carregar as características principais de uma música do Woodkid, "Goliath" chega com uma sonoridade muito mais industrial e eletrônica, menos orgânica que as composições anteriores.

"Sempre busco fazer meu som parecer cada vez mais ambíguo e menos óbvio, com uma produção mais refinada", contou Lemoine. "Gosto dessa ideia de que tudo pareça corroído por ácido".

Esse conceito da corrosão, segundo ele, será um tema recorrente no próximo disco, sobre o qual preferiu não contar muito para não estragar o fator surpresa, mas garantiu: "Será 100 vezes maior que o primeiro. Tudo foi ampliado, até minha voz".

Ao refletir sobre o caminho percorrido desde as canções lançadas há sete anos em The Golden Age, apontou: "Aprendi muito sobre espaço na música. Era como se minhas primeiras gravações fossem um pequeno compacto de sons posicionadas há poucos metros do ouvinte". 

Com certeza esse aprendizado foi muito bem aplicado na nova música e no novo clipe, já que ambos transmitem uma sensação de amplitude e imensidão, presentes logo de cara no título, e também lá no fundo, na alma da composição, que carrega o fascínio e a identificação do músico pelo confronto entre Davi e Golias.

"Sempre me interessei muito pela dimensão das coisas, por forças massivas, talvez por eu não ser muito alto", contou.

Então inseguranças internas, criativas, ansiedades e medos gerados por descobrir que sabemos menos do que imaginávamos se transformaram em um Golias imenso e aparentemente indestrutível, no aguardo de um Davi para concretizar a batalha final épica.

Apesar de ter sido escrita em 2016, é impossível não associar esse conflito travado pelo artista francês consigo mesmo ao combate que a humanidade tem travado contra o Covid-19 nesses últimos meses.

Como Woodkid apontou, compositores têm o poder de criar mundos dentro das próprias músicas, e superação é um tema que ele busca inserir nas criações dele. "Meus medos particulares não são relevantes agora. Mas o mundo que eu crio pode ser. Pessoas podem se identificar, e se for um mundo em que o dominado derrota feras, então pode ser usado como inspiração para gerações futuras."

Otimista de que a humanidade vai derrotar logo esse gigante, ele não planeja entrar na onde de lives que tem dominado o mundo da música: "Quero manter minha esperança de que isso tudo vai acabar logo".

Como uma forma de manter essa chama acesa, e diferente de vários artistas que estão adiando lançamento de disco por não acharem que é "o momento certo", Lemoine não pretende mudar o lançamento do novo projeto (ainda sem data), pois reconhece o caráter essencial da música em uma sociedade que não pode sair de casa.

"Só posso esperar que esse show de horrores acabe logo. E realmente espero que os governos ajam e falem com clareza sobre o que está acontecendo".

Assista ao clipe de "Goliath" abaixo.


+++ O TERNO | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL