Woodstock 50 perde mais um parceiro e festival fica por um triz

Em menos de uma semana, dois investidores já abandonaram seu envolvimento com o evento

Redação Publicado em 02/05/2019, às 16h43

None
Pôster do Woodstock 50 (Foto:Divulgação)

Poucos dias após perder seu principal investidor financeiro, o festival Woodstock 50, que seria a comemoração de meia década do evento original, ficou também sem a empresa encarregada da produção, o que torna as coisas ainda mais complicadas do que já estavam.

Superfly, coprodutora de festivais como Bonnaroo e Outside Lands, confirmou à Rolling Stone EUA que abandonou o projeto e não está mais envolvida na empreitada.

“Ao longo do nosso envolvimento, nossa equipe aconselhou e fez recomendações quanto aos elementos necessários para produzir uma experience segura e de primeira classe. Seguindo a decisão de um dos nossos clientes, a Dentsu, de cancelar o evento, nós também não participaremos mais das próximas atividades relacionadas”, afirmaram. 

Em conversa com a RS EUA, um especialista no assunto garante que a nova desistência pode ser catastrófica e marcar o fim do Woodstock 50. De acordo com ele, as empresas que poderiam salvar o evento são a AEG, produtora do Coachella, ou a C3, que produz o Lollapalooza e o Austin City Limits Fest

Um representante da primeira recusou comentar sobre o assunto, e a segunda disse que não vai se envolver com o festival.

Tudo isso começou na última segunda, 29, quando a Dentsu, principal investidora financeira tomou a decisão de não mais fazer parte do projeto, decretando um suposto cancelamento. Poucas horas depois, os produtores do evento se pronunciaram, e disseram que mesmo assim o Woodstock 50 aconteceria.

Com o cenário agravado, não se sabe ainda qual o futuro da comemoração.

++++ Cheia de amor, Cynthia Luz se posiciona como dona da voz (rouca) em ascensão do pop e R&B nacional