Wyclef Jean não poderá se candidatar à Presidência do Haiti

Músico foi proibido de participar das eleições por não cumprir exigências relativas à comprovação de residência no país

Da redação Publicado em 25/08/2010, às 12h46

Wyclef Jean deve ficar fora das eleições no Haiti
AP

O cantor Wyclef Jean foi proibido de se candidatar à Presidência do Haiti, onde nasceu, nas eleições que acontecem em novembro, informou a agência de notícias Reuters.

Wyclef, que sempre foi um ativista das causas haitianas, havia anunciado no começo do mês que concorreria ao cargo de presidente nas eleições. Mas na sexta passada, 20, as autoridades responsáveis pelo conselho eleitoral declararam que ele "não está na lista com os candidatos aprovados" para a corrida presidencial.

A princípio, o músico havia aceitado a decisão mas, no último domingo, 22, anunciou que seus advogados recorreriam. No entanto, na terça, 24, especialistas em legislação eleitoral haitiana declararam que a decisão é final e não pode ser contestada legalmente.

O ex-integrante dos Fugees foi proibido de participar das eleições por não cumprir exigências relativas à residência no país, embora ele garanta que apresentou os documentos corretos provando que morou por cinco anos no Haiti, conforme o exigido pela lei eleitoral. Ele declarou ainda que alguns dos candidatos aprovados sequer apresentaram qualquer prova de residência no Haiti.

Wyclef Jean, que foi ameaçado de morte após anunciar que seu nome estaria nas cartelas eleitorais em novembro, acredita que a impugnação de sua candidatura não passa de uma armadilha de uma "instituição corrupta" para atrapalhar seu futuro político. Sendo assim, mesmo sem muitas possibilidades de reverter a decisão, ele garante que não vai desistir das eleições.

Advogados do músico estão considerando a possibilidade de se unir a outros candidatos rejeitados para lutar contra o veredicto, que consideram arbitrário.