Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

BTS: Integrantes cumprirão serviço militar obrigatório; grupo retorna em 2025

Conforme informado pela agência do BTS, Jin será o primeiro a se alistar, e todos os integrantes passarão pelo processo

Dimitrius Vlahos Publicado em 17/10/2022, às 08h59

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
BTS no Grammy (Foto: Frazer Harrison / Getty Images)
BTS no Grammy (Foto: Frazer Harrison / Getty Images)

Integrantes do BTS não escaparam de serviço militar obrigatório. A Hybe, produtora do fenômeno de k-pop, informou nesta segunda, 17, que integrantes do grupo devem se alistar, sem mais pedidos de adiamento. 

Kim Seok-jin, será o primeiro. Mais conhecido como Jin, o músico completa 30 anos em 4 de dezembro deste ano - idade limite para o serviço. Em 2019, uma revisão da regra estabeleceu a possibilidade de cantores de k-pop reconhecidos globalmente adiarem o alistamento até os 30 anos, o que ficou conhecido como a "Lei do BTS". A lei anterior previa cumprimento até os 28 anos.

+++ LEIA MAIS: BTS: Qual música foi virada na carreira do grupo? Jungkook responde

Na Coreia do Sul, período de serviço pode ir de 18 a 21 meses, o que pode significar afastamento do BTS por quase dois anos. Jin cancelou pedido de adiamento e deve cumprir com os procedimentos até o final de 2022.

Grupo de k-pop que havia anunciado pausa para focar em projetos solo, agora, tem previsão de voltar aos palcos de forma completa apenas em 2025, segundo a Hybe, conglomerado que agencia carreira dos cantores: "Tanto a empresa quanto os membros do BTS estão ansiosos para se reunirem novamente como um grupo por volta de 2025, seguindo o compromisso do serviço" (via G1).

+++ LEIA MAIS: BTS deveria ser dispensado do serviço militar, afirma ministro da Coreia do Sul

Show mais recente do BTS aconteceu no último sábado, 16, em Busan. O evento faz parte do apoio à Coreia do Sul em candidatura para sediar Expo Mundial 2030.