A Crônica Francesa: 6 motivos para assistir ao filme de Wes Anderson com Timothée Chalamet [LISTA]

A Crônica Francesa, de Wes Anderson, estreou em 18 de novembro e se destaca como a obra mais ambiciosa do diretor

Vitória Campos (sob supervisão de Yolanda Reis) Publicado em 01/11/2021, às 10h40 - Atualizado em 24/11/2021, às 16h11

None
A Crônica Francesa, de Wes Anderson (Foto: Divulgação)

Wes Anderson tem como marca registrada a originalidade, e cria um universo próprio em cada filme. Curiosamente, o diretor conseguiu se superar em A Crônica Francesa (2021) (ou The French Dispatch), tornando-o o longa-metragem mais destemido de toda sua filmografia — e em que foi mais autoral, sendo apenas ele mesmo: perfeccionista e único. 

Com a estética mais audaciosa do diretor, A Crônica Francesa pode perder um pouco de alma e sentimento ao cuidar exageradamente do visual. Contudo, em momento algum, perde fôlego. 

+++ LEIA MAIS: 5 motivos que tornam os filmes de Wes Anderson únicos [LISTA]

 
 
 
 
 
View this post on Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A post shared by The French Dispatch (@frenchdispatch)

 

O filme, exibido na 45ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, conta a história de uma filial de um jornal americano em uma cidade francesa fictícia no Século XX e se destaca pelo elenco de peso. Pensando nisso, confira seis motivos para assistir A Crônica Francesa: 


Carta de amor ao jornalismo 

Em diversas entrevistas, Anderson explicou como o filme se trata de “uma carta de amor ao jornalismo.” A produção gira em torno de um jornal americano em uma cidade pacata fictícia na França do Século XX — e apresenta o dia a dia da profissão, mostrando os repórteres apurando as matérias. Com isso, A Crônica Francesa se torna imperdível para os amantes do jornalismo e para quem quer aprender um pouco mais sobre o que faz o profissional da área.

+++ LEIA MAIS: 6 filmes para quem ama Os Excêntricos Tenenbaums, de Wes Anderson: de Grande Hotel Budapeste a Ave, César! [LISTA]


Variadas linguagens de filmagem

Wes Anderson não se contenta em entregar uma das melhores estéticas de sua filmografia, pois o diretor também procurar abusar dos estilos e linguagens. Em A Crônica Francesa, o espectador encontra cenas em preto e branco, e colorido; alternadas repetidamente durante a trama. Além disso, o filme também conta com uma sequência em animação, mostrando o cuidado do diretor com cada frame.


Wes Anderson se mostra ambicioso como nunca na estética

A Crônica Francesa foi responsável por trazer uma opinião praticamente unânime entre os críticos de cinema: é o filme de Anderson mais audacioso na estética, direção de arte e fotografia. É nítido o cuidado e ambição do diretor, tornando cada frame do longa uma obra de arte visual simétrica, colorida e, sem dúvidas, inesquecível. Assim, Anderson consegue criar um universo único, dentro de seu próprio mundo original.

+++ LEIA MAIS: Em Duna, Denis Villeneuve impressiona ao criar espetáculo visual complexo que transporta espectador para o deserto de Arrakis [REVIEW]


 Elenco aclamado (e numeroso)

Além da estética, A Crônica Francesa impressiona na escolha do elenco: apenas atores aclamados. O filme conta com parcerias antigas do diretor, como Bill Murray, Frances McDormand, Adrien Brody, Owen Wilson, Léa Seydoux, Tilda Swinton e mais. E também destaca atores que não haviam trabalhado com Wes Anderson anteriormente, mas que dão um show de atuação, como Benicio del Toro, Timothée Chalamet e Lyna Khoudri.


Muitas histórias em um só filme 

O filme traz à vida crônicas e reportagens publicadas no jornal The French Dispatch Magazine. Com isso, a produção se torna uma antologia, reunindo pequenas histórias em um único longa-metragem — e fazendo com que o roteiro fique ainda mais rico e diverso.

+++ LEIA MAIS: Duna: Timothée Chalamet revela segredo para sucesso: 'Nada de drogas pesadas e filmes de super-heróis'


Trilha sonora de Alexandre Desplat 

Compositor francês premiado com o Oscar, Alexandre Desplat cria uma trilha sonora única e original — a qual cria a conexão perfeita com a atmosfera fantasiosa e alegórica dos filmes de Wes Anderson.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por The French Dispatch (@frenchdispatch)