Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

Greve em Hollywood: Filmes e séries independentes retomam gravações após acordo; saiba quais são

Filmes estrelados por Anne Hathaway e Matthew McConaughey são produzidos por estúdios independentes, que não fazem parte da paralisação de atores e roteiristas

Redação Publicado em 21/07/2023, às 15h45

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Roteiristas de Hollywood em greve (Foto: Charley Gallay / Getty Images)
Roteiristas de Hollywood em greve (Foto: Charley Gallay / Getty Images)

O Sindicato dos Atores de Hollywood (SAG, na sigla em inglês) tem estabelecido acordos com alguns estúdios e dado permissão para que seus membros continuem a participar das gravações de filmes e séries específicos.

Em sua maioria, os acordos foram estabelecidos com estúdios independentes, que não fazem parte da Aliança dos Produtores de Filmes e Televisão (AMPTP, na sigla em inglês), que não chegou a acordo com atores e roteiristas (a classe está paralisada desde maio).

+++ LEIA MAIS: Tom Cruise interrompe gravações de 'Missão Impossível' com a greve dos atores de Hollywood

Entre as produções que podem continuar estão: os filmes Mother Mary, estrelado por Anne Hathaway e Hunter SchaferThe Rivals of Amziah King, estrelado por Matthew McConaughey. Há ainda filmes com outros grandes nomes, como Paul Rudd (Homem-Formiga); Jenna Ortega (Wandinha) e Mel Gibson (Até o último homem) e Sigourney Weaver (Avatar).

A série Tehran, que entrou para a lista nesta quinta-feira (20) e tem Hugh Laurie (House) no elenco, é transmitida pela plataforma de streaming Apple TV+, que é parte da AMPTP. O motivo para a permissão não foi divulgado.

+++ LEIA MAIS: Greve em Hollywood: quais filmes e séries são afetados?

Além dela, o filme The Watchers, estrelado por Dakota Fanning, também está na lista, apesar de ligações com a New Line. O SAG mantém uma lista atualizada com produções que receberam permissão em seu site.

Entenda a situação atual da greve

Na última quinta-feira, 13 de julho, Fran Dresche, presidente do sindicato dos atores em Hollywood e Duncan Crabtree-Ireland, líder das negociações, declarou em coletiva de imprensa que a Screen Actors Guild (SAG-AFTRA) não obteve sucesso nas negociações com os estúdios norte-americanos.

As conversas se concentraram em melhores salários e outros benefícios, além de definir o uso da inteligência artificial na produção de filmes e programas de televisão, para garantir que suas imagens digitais não sejam recriadas sem autorização.

+++ LEIA MAIS: Bruna Marquezine declara apoio à greve em Hollywood

Após concordar em estender as negociações, por 12 dias, as conversas terminaram sem que as partes chegassem a um acordo. Desde a paralisação, membros do sindicato têm organizado protestos em frente às empresas e se juntado a seus colegas roteiristas.

Pela primeira vez desde os anos 1960, Hollywood se vê diante de uma paralisação por completo. Se nos últimos dois meses, produções com roteiros já escritos puderam continuar, como Mortal Kombat 2, agora com a parada dos atores, a interrupção será praticamente completa.