Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

A dura opinião do Iron Maiden sobre o Rock and Roll Hall of Fame

Bruce Dickinson, vocalista, e Steve Harris, baixista, manifestaram suas posições a respeito da instituição, que até hoje não reconheceu a banda

Por Igor Miranda (@igormirandasite) Publicado em 28/06/2023, às 18h45

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Imagem A dura opinião do Iron Maiden sobre o Rock and Roll Hall of Fame

O Iron Maiden está elegível para entrar no Rock and Roll Hall of Fame desde 2005, ano em que seu álbum de estreia, homônimo, completou 25 anos de lançamento. Mesmo assim, a lendária banda de heavy metal nunca foi reconhecida pela instituição, que tem um histórico problemático com o estilo e suas ramificações - a ponto de ter demorado a incluir Deep Purple, Judas Priest e Kiss, bem como seguir ignorando Motörhead, Thin Lizzy e outros representantes.

Para se ter ideia, o Maiden disputou vaga para entrar no Rock Hall apenas duas vezes: em 2021 e, mais recentemente, em 2023. Foi preterido em ambas as ocasiões. Na primeira, foram escolhidos Foo Fighters, The Go-Go’s, Jay-Z, Carole King, Todd Rundgren e Tina Turner. Na segunda, as vagas foram ocupadas por Kate Bush, Sheryl Crow, Missy Elliott, George Michael, Willie Nelson, The Spinners e Rage Against the Machine.

+++ LEIA MAIS: O grande segredo do Iron Maiden ao montar seus repertórios, segundo Steve Harris

Diante desse histórico complicado, os integrantes do grupo britânico nunca se manifestaram empolgados para fazer parte da instituição que se declara “o hall da fama do rock and roll”. Em entrevista recente à Metal Hammer, o baixista e líder Steve Harris disse nunca ter se preocupado com isso.

“Não sou exatamente contra isso ou algo assim, sabe? Se as pessoas forem reconhecidas lá, tudo bem. Mas nunca me incomodei com isso. Nunca fizemos música para estar em qualquer hall da fama.”

O músico ainda destaca que a forma de escolha do Rock Hall é um tanto questionável. Não são os fãs quem elegem as atrações, mas, sim, um corpo de jurados escolhidos pela instituição. O público até pode participar, mas conta como um voto em meio aos aproximadamente mil recebidos.

“Se fosse algo votado pelos fãs, tudo bem. Mas do jeito que funciona, não importa quantos fãs votem, conta apenas como um voto. Portanto, não representa nada. Não sei como me sentiria se realmente fôssemos escolhidos.”

Palavras duras de Bruce Dickinson

Se Steve Harris escolheu um pouco melhor as palavras para não causar chateação em ninguém, Bruce Dickinson optou por um discurso bem mais forte ao abordar o tema. Em entrevista ao Telegraph (via site Igor Miranda), o vocalista do Iron Maiden disse de forma direta que não quer entrar para o Rock and Roll Hall of Fame. E sua razão é um tanto incontestável.

“Eu não quero estar no Rock and Roll Hall of Fame! Porque nós ainda não estamos mortos!”

Em seguida, Dickinson explicou que o heavy metal pode intimidar os responsáveis pela instituição. Isso explicaria a ausência de bandas do estilo sendo introduzidas ao hall.

“Algumas pessoas se sentem quase ativamente ameaçadas pelo metal. Não pela natureza da música. Mas pelo fato de que ela não se adequa a sua visão de mundo do que a música pop deveria ser, que é: música pop é descartável, queridos. Bem, nós não fazemos música pop descartável.”

Discurso semelhante foi apresentado pelo cantor em 2018, durante bate-papo com o The Jerusalem Post. Na ocasião, chegou a dizer que recusaria entrar no Rock and Roll Hall of Fame se o Maiden fosse escolhido para a “honraria”.

“Na verdade, estou muito feliz de não estarmos lá, eu nunca gostaria de estar lá. Se fomos introduzidos, eu vou recusar. O rock and roll não pertence a um mausoléu em Cleveland, nos Estados Unidos. É uma coisa viva, que respira. Se você colocá-lo em um museu, estará morto.”