Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

Baixista do Rage Against The Machine revela diagnóstico de câncer de próstata

Tim Commerford descobriu câncer de próstata durante exames para seguro de vida

Redação Publicado em 12/12/2022, às 15h56

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Tim Commerford, baixista do Rage Against the Machine (Foto: Theo Wargo/Getty Images)
Tim Commerford, baixista do Rage Against the Machine (Foto: Theo Wargo/Getty Images)

Baixista do Rage Against the Machine, Tim Commerford revelou diagnóstico de câncer de próstata durante entrevista à SPIN. O músico explicou como o tumor foi removido antes do grupo liderado por Zack de la Rocha fazer turnê em 2022.

"Fui fazer um seguro de vida, mas meus números de PSA [sigla em inglês para antígeno prostático específico] estavam altos. Não consegui [o seguro]," afirmou Commerford. "Eles não me segurariam. No início, o número era muito baixo – algo como um ponto. Eu o assisti ao longo de um ano e meio e ele continuou se elevando ainda mais. Eventualmente, eles fizeram uma biópsia e descobriram que eu tinha câncer, então retiraram minha próstata."

+++LEIA MAIS: Rage Against The Machine cancela turnê de 2023 por lesão de vocalista

“Eu estava pensando, bem, porque eles estão assistindo e deixando chegar a esse ponto, talvez não seja grande coisa," continuou o baixista na conversa. "Eu me culpo. Eu deveria ter dito: 'Meus números são elevados e o que isso realmente significa?' Eu deveria ter levado isso mais a sério. Agora estou na situação em que estou: segurar a respiração por seis meses."

Não é algo bom e não me deixa feliz. Estou apenas tentando segurar as rédeas. Vai ser uma longa jornada, espero. Meu pai morreu aos 70 anos de câncer e minha mãe morreu de câncer aos 40. Divida a diferença para 65 e tenho 10 anos. Estou tentando chegar à marca de 100 músicas – tenho alguns objetivos agora.

Além disso, Tim Commerford comentou como quase não conseguiu participar da turnê "Public Service Announcement" do Rage Against The Machine após recomendações médicas: "Isso foi brutal. Eu estava no palco olhando para o meu amplificador em lágrimas."

Foi surreal. Às vezes eu me sentava e tentava não pensar em certas coisas. Foi estranho. Eu mantive isso para mim durante toda a turnê que fizemos e foi brutal.

+++LEIA MAIS: Rage Against the Machine: Tom Morello reforça apoio ao Lula nas vésperas de eleição

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!