Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

Elis Regina de IA em comercial da Volkswagen vira alvo do Conar

Denunciantes questionam uso de inteligência artificial para reproduzir pessoas falecidas

por Heloísa Lisboa (@helocoptero) Publicado em 11/07/2023, às 15h42

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Elis Regina reproduzida por IA em comercial da Volkswagen (Reprodução)
Elis Regina reproduzida por IA em comercial da Volkswagen (Reprodução)

O Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) abriu nesta segunda-feira, 10, representação ética contra a campanha VW Brasil 70: O novo veio de novo, da Volkswagen do Brasil.

No comercial lançado em 3 julho, Elis Regina e a filha Maria Rita aparecem cantando “Como Nossos Pais”. Ao mesmo tempo e lado a lado, Maria dirige a nova Kombi ID.Buzz, enquanto Elis aparece dirigindo a Kombi clássica.

Os consumidores, cujas identidades são protegidas pela Lei Geral de Proteção de Dados, questionam se é ético o uso de IA (Inteligência Artificial) e deep fake para reproduzir a imagem de pessoa falecida. Uma atriz foi usada para recriar o rosto e movimentos de Elis, morta em 1982.

Elis Regina (Foto: publicada no livro Furacão Elis, cedida à Rolling Stone Brasil pela Editora LeYa)
Elis Regina (Foto: publicada no livro Furacão Elis, cedida à Rolling Stone Brasil pela Editora LeYa)

A autorização de herdeiros para a criação de cenas que nunca existiram também deve ser analisada pelo Conar. Além disso, os denunciantes indagam a falta de alerta sobre o uso de IA no vídeo distribuído.

O advogado Gabriel de Britto Silva enviou a denúncia recebida pelo Conar ao jornal O Estado de S. Paulo. Na representação, ele ainda acrescenta que Elis Regina e Maria Rita estão dirigindo desatentamente. 

“Na propaganda de automóveis (...) Não se permitirá que o anúncio contenha sugestões de utilização do veículo que possam pôr em risco a segurança pessoal do usuário e de terceiros, tais como (...) desrespeito (...) às normas de trânsito de uma forma geral”, diz o Código.

Elis Regina em apresentação de 'Como Nossos Pais'
Elis Regina cantando 'Como Nossos Pais' (Reprodução)

Opiniões divididas

O vídeo gerou polêmica por resgatar a relação da Volkswagen com a ditadura militar no Brasil (1964-1985). Tanto Belchior, autor da canção utilizada no filme, quanto Elis Regina se posicionaram contra o período. “Como Nossos Pais” também é comumente associada à temática de conflito de gerações. Por isso, alguns telespectadores interpretam o uso da música como uma descaracterização do sentido original.

O filho mais velho de Elis, João Marcello Bôscoli, por outro lado, afirmou à Folha de S.Paulo que se emocionou e que não concorda com as críticas negativas sobre a propaganda:

"Se a gente for fazer essa revisão muito, muito apurada, vão sobrar quantas empresas?"

Representação na íntegra

"O Conar abriu hoje, 10 de julho, representação ética contra a campanha 'VW Brasil 70: O novo veio de novo', de responsabilidade da VW do Brasil e sua agência, AlmapBBDO, motivada por queixa de consumidores.

Eles questionam se é ético ou não o uso de ferramenta tecnológica e Inteligência Artificial (IA) para trazer pessoa falecida de volta à vida como realizado na campanha, a ser examinado à luz do Código Brasileiro de Autorregulamentação Publicitária, em particular os princípios de respeitabilidade, no caso o respeito à personalidade e existência da artista, e veracidade.

Adicionalmente, questiona-se a possibilidade de tal uso causar confusão entre ficção e realidade para alguns, principalmente crianças e adolescentes.

A representação será julgada nas próximas semanas por uma das Câmaras do Conselho de Ética do Conar, garantindo-se o direito de defesa ao anunciante e sua agência. Em regra, o julgamento é efetuado cerca de 45 dias após a abertura da representação.

O Conar aceita denúncias de consumidores, assim como outras manifestações sobre a peça publicitária, bastando que sejam identificadas. Em obediência à LGPD a identidade dos denunciantes é protegida."