Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

Jane Birkin foi censurada e gravou com Caetano Veloso; entenda relação da cantora com o Brasil

Jane Birkin morreu aos 76 anos no último domingo, 16

por Heloísa Lisboa (@helocoptero) Publicado em 17/07/2023, às 11h00

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Jane Birkin e Caetano Veloso (Getty Images)
Jane Birkin e Caetano Veloso (Getty Images)

Jane Birkin, que morreu aos 76 anos no último domingo, 16, esteve no Brasil para apresentações musicais e um festival de cinema. A cantora e atriz inglesa também colaborou com artistas brasileiros. Sua última passagem pelo país deveria acontecer em 2018, mas foi cancelada e seguida pela pandemia.

Colaborações

Birkin gravou "Leãozinho" com Caetano Veloso e incluiu a faixa no álbum Rendez-vous, de 2004. Outro encontro com o cantor ocorreu em 2009, quando Jane trouxe o espetáculo Gainsbourg Imperial ao Sesc Pinheiros. Os dois cantaram juntos "Je suis venu te dire que je m'en vais". Moreno Veloso, filho de Caetano, ainda dividiu "Couleur café" com a inglesa.

O show foi uma homenagem ao cantor e compositor Serge Gainsbourg, ex-marido de Jane Birkin e com quem teve uma filha. Charlotte Gainsbourg esteve em filmes de Lars von Trier e de Agnès Varda.

Em 2010, Birkin colaborou com Sérgio Dias, guitarrista dos Mutantes, no disco We Are the Lilies, com o francês Tahiti Boy e a banda The Palmtree Family.

Jane Birkin (Reprodução)
Jane Birkin (Reprodução)

Festival de cinema

Jane Birkin participou do Festival do Rio com seu primeiro trabalho como diretora de cinema: Boxes, les Boîtes, ou Caixas no Brasil. A atriz protagoniza o longa-metragem, que revisita suas próprias memórias sobre casamentos e maternidade. Apesar de ficar apenas um dia no país, Birkin teve tempo para apoiar as manifestações dos monges budistas de Myanmar. As atrizes Bruna Lombardi e Christiane Torloni elogiaram a iniciativa e se juntaram à Jane (via Terra).

Ditadura

Birkin e o então marido Serge Gainsbourg lançaram "Je t'Aime Moi Non Plus" em 1969. Em plena ditadura militar no Brasil, a canção foi censurada por simular uma relação sexual, incluindo gemidos e sussurros. Jane e Serge fizeram o disco homônimo Jane Birkin/Serge Gainsbourg e ficaram bastante conhecidos pelo relacionamento que levaram durante 13 anos. Quando se casaram, Birkin tinha apenas 22 anos, enquanto Gainsbourg já tinha 40 e deixava um casamento conturbado com a atriz Brigitte Bardot.