Setentista, black power e barbudo: Fernando Rosa comenta sobre expansão global da própria música [ENTREVISTA]

Em um papo com a Rolling Stone, Fernando Rosa falou sobre a expansão da carreira pela internet, carreira internacional e próprias influências

Yolanda Reis Publicado em 01/10/2021, às 22h46 - Atualizado em 04/10/2021, às 09h15

None
Fernando Rosa (Foto: Silvio Fatz / Reprodução / Instagram)

Fernando Rosa foi o convidado da semana no YouTube da Rolling Stone Brasil. O instrumentalista, em papo com Luis Maluf, comentou sobre a expansão na internet durante a quarentena, as principais influências da própria música e do estilo, assim como um breve resumo da carreira musical.

Sobre o crescimento internacional online, disse: "Tudo isso foi uma supresa para mim, também. Porque tudo veio com o advento do confinamento, estarmos em casa. Comecei a ver a câmera, ver lives... Não usava muito o recurso nas redes sociais, mas comecei a mostrar o meu cotidiano. Quem me conhece há mais tempo sabe [como a música] faz parte da minha vida. Comecei a abrir live e tocar, e muita gente se identificou e isso cresceu. Comecei a publicar vídeos frequentemente, e criei o campo."

Rosa ficou surpreso com a expansão do projeto, e começou a aprimorar as técnicas e o repertório. Como explicou, tenta não destacar apenas os hits da carreira, mas explorar o "lado B" do funk e do soul do meio do Século XX: "Foi uma explosão. Ouvíamos as mais famosas que tocavam no rádio, mas tinha muita banda desse movimento [mundial]." Para o músico, o caminho ainda é globalizado - citou ouvintes do Irã e da China.

Fernando também comentou sobre o reconhecimento internacional, tanto da mídia quanto do meio musical: Lenny Kravitz o seguiu e mandou mensagem, assim como Duff McKagan e Slash, do Guns N' Roses. "Fico feliz de ver como a música tem essa força e é uma linguagem universal."

No vídeo - dividido em duas partes - você confere Fernando Rosa falando sobre influências musicais, o começo da carreira artística e o próprio estilo "setentista, black power e barbudo."

Na segunda parte da entrevista, Rosa conversou com o fã e baixista Pedro Santos, 15, e revelou qual linha de baixo o inspirou a tocar o instrumento; qual música foi um grande desafio para aprender e deixou conselhos para os artistas iniciantes. Assista: