52 anos de Kurt Cobain: veja 7 frases marcantes do vocalista do Nirvana

Complexo e sensato, Kurt já abordava questões essenciais e atuais até nos dias de hoje

Redação Publicado em 20/02/2019, às 15h33

None
Kurt Cobain (Foto:AP)

Nesta quarta, 20 de fevereiro, Kurt Cobain celebraria seu aniversário de 52 anos. O vocalista, letrista e guitarrista do Nirvana se suicidou com um tiro em abril de 1994, aos 27.

Durante sua vida, ele liderou a maior banda de grunge de todos os tempos, e se tornou um ícone de uma geração inteira. Complexo e sensato, Kurt era o oposto do que todos esperavam de um deus do rock, e se portava de maneira totalmente diferente de qualquer astro que veio antes de si.

Já naquela época, ele falava sobre temas relevantes e essenciais nos dias atuais, como a importância do feminismo, direitos LGBT e autenticidade da atitude punk.

Em homenagem ao seu legado, separamos sete frases marcantes de Kurt Cobain.

“Metade do tempo eu sou um babaca niilista. Sou sarcástico para cacete as vezes, e em outros momentos ainda sou vulnerável e sincero. É basicamente assim que as músicas surgem, como uma mistura desses dois lados, e é assim que as pessoas da minha idade são. Fico puto com as mesmas coisas que me deixavam puto alguns anos atrás. Fico puto com tudo no geral, então essas canções são sobre minha batalha com as coisas que me irritam”, Come as You Are: The Story of Nirvana

“Apesar de já ter gostado de algumas coisas do Aerosmith e do Led Zeppelin, demorou bastante até eu perceber que muitas das músicas deles são sexistas. A forma como eles escrevem sobre seus pintos e fazer sexo. E então eu percebi que era isso que estava me incomodando tanto durante os últimos anos de escola. Aí veio o punk rock e tudo vez sentido”, Blank on Blank em 1993

“Nesse momento, tenho um pedido para os nossos fãs. Se algum de vocês odeia, de alguma forma, homossexuais, pessoas de outras cores ou mulheres, façam um favor para nós — nos deixe em paz. Não apareça nos nossos shows e nem compre nossos discos”, Anotações do disco Incesticide

“Sempre me senti mais próximo da parte feminina da humanidade do que da masculina — ou pelo menos da ideia norte-americana do que um homem deve ser. É só assistir a um comercial de cerveja que você vai entender o que quero dizer”, Rolling Stone EUA, 1992

“Temos esse conflito entre o bem e o mau, entre homem e mulher porque tem sempre pessoas querendo fazer mal a outras pessoas, sem motivo algum, e eu tenho vontade de bater nesse tipo de gente. Essa é a moral. Mas tudo que posso fazer é gritar em um microfone”, Come as You Are: The Story of Nirvana

“Eu acho que o rap é a única forma vital de música apresentada em um bom tempo, desde o punk rock. Eu nunca faria rap, porque não faz sentido. As pessoas que fazem rap já fazem muito bem, e acho ofensivo gente como Vanilla Ice. O homem branco já roubou do negro por tempo o suficiente”, Billboard em 1991 

“Só espero não ficar tão feliz a ponto de me tornar entediante. Acho que sempre vou ser neurótico o suficiente para fazer algo estranho”, Rolling Stone EUA em 1994