Sem Malcolm Young, AC/DC anuncia nome e data de lançamento do novo disco

Grupo também confirma saída definitiva do guitarrista base Malcolm Young

Rolling Stone EUA Publicado em 24/09/2014, às 14h48 - Atualizado às 15h17

Brian Johnson e Angus Young, do AC/DC

Ver Galeria
(13 imagens)

O AC/DC lançará Rock or Bust, primeiro disco em seis anos – e primeiro em todos os tempos sem o guitarrista base Malcolm Young –, no fim deste ano. Ele terá 11 faixas inéditas, uma delas, - “Play Ball” – será revelada em um programa de TV norte-americano no próximo dia 27 de setembro. O álbum chega às lojas em 2 de dezembro.

Entrevista: "Malcolm Young é um cara impiedoso, que fez tudo para chegar ao sucesso", diz biógrafo do AC/DC.

A banda australiana também anunciou a saída permanente de Malcolm Young. No começo deste ano, foi divulgado que uma doença o tinha forçado a dar uma pausa nas atividades do grupo. Agora, é definitivo: ele não retorna mais, “devido à natureza das condições de saúde de Malcolm”, diz comunicado enviado à imprensa que, entretanto, não dá detalhes específicos sobre o assunto.

Edição 27: AC/DC e o Manual do Rock & Roll.

O AC/CD gravou Rock or Bust em dez dias no primeiro semestre deste ano no Warehouse Studio, de Vancouver. A produção é assinada por Brendan O’Brien, e a mixagem por Mike Fraser, os mesmos de Black Ice, disco lançado em 2008. O sobrinho de Malcolm e Angus Young, Stevie Young, tocou a guitarra base no disco e sairá na turnê mundial de Rock or Bust com a banda em 2015.

O AC/DC faz parte da nossa lista de roqueiros bons de marketing.

“Sentimos falta de Malcolm, obviamente”, disse Johnson à Classic Rock em julho. “Ele é um batalhador. Ele está no hospital, mas é um batalhador. Estamos torcendo para que ele se recupere... Stevie, o sobrinho de Malcolm, foi magnífico, mas quando você vai gravar com essas coisas te atrapalhando, e seu colega de trabalho não está bem, é difícil... Mas tenho certeza que ele estava torcendo por nós. Ele é um cara forte. Pequeno, mas muito forte. Ele está orgulhoso, e é muito fechado, então não podemos falar muito. Mas queremos muito que ele volte”.