"Formation", novo single de Beyoncé, é alvo de críticas, protesto e ameaças de boicote

O último clipe e a performance no Super Bowl destacam grupos marginalizados dos Estados Unidos

Zandria F. Robinson Publicado em 10/02/2016, às 16h49 - Atualizado em 15/02/2016, às 18h39

Beyoncé na capa do single "Formation"
Divulgação

Desde a apresentação de “Formation”, no Super Bowl, no último domingo, 7, Beyoncé enfrenta tentativas de boicote ao novo single. A cantora foi alvo de críticas de apresentadores da Fox News, que acharam desnecessário a artista usar o espaço para “se vestir fazendo tributo aos Panteras Negras” e mencionar “o movimento Black Lives Matter”. O ex-prefeito norte-americano Rudy Giuliani aparentemente chamou a performance de “ridícula” e disse: “Isso é futebol, não Hollywood. Acho que foi realmente ultrajante ela usar a plataforma para atacar policiais".

Dez teasers de filmes lançados no intervalo do Super Bowl

A hashtag #boycottbeyonce tem movimentado as redes sociais desde o lançamento da música, que foi considerada “anti-polícia” e tem despertado discussões calorosas. Um grupo anônimo está planejando um protesto contra a cantora e a NFL, por ter promovido a apresentação. “Você se ofendeu com a apresentação de Beyoncé no Super Bowl?”, questionam os organizadores. “Você acredita que os Panteras Negras foram um grupo de ódio que não deveria ser glorificado? Venha conosco”, convidam.

O protesto será realizado na sede da NFL, em Nova York, no dia 16 de fevereiro, mesmo dia em que os ingressos para a turnê de Formation começam a ser vendidos. Já existe um outro grupo que pretende defender a cantora do protesto, que será realizado em forma de comício. Em entrevista após a apresentação no Super Bowl, Beyoncé disse que não se calará diante das críticas. Segundo a cantora, a intenção foi fazer com que as pessoas “sentissem orgulho delas mesmas.”

Trinta mulheres, todas negras e lideradas por Beyoncé, se apresentaram em formação no show do intervalo do evento. Foi um aniversário de 50 anos diferente. Durante os 90 segundos que andou pelo campo antes de se juntar a Bruno Mars e ao Coldplay no palco, Beyoncé e as dançarinas usaram imagens de empoderamento negro, com punhos cerrados levantados para reforçar a mensagem de orgulho negro contida em “Formation”. O single e clipe foram lançados na tarde de sábado, 5, um dia antes da apresentação.

Steven Tyler, Drake e Amy Schumer: assista algumas das melhores propagandas do Super Bowl 50