Cocriador do Eagles Of Death Metal, Josh Homme pede doações para vítimas de atentado em Paris

O também líder do Queens of the Stone Age não estava com o Eagles Of Death Metal durante os ataques de 13 de novembro

Redação Publicado em 20/11/2015, às 14h06 - Atualizado às 14h48

Queens of the Stone Age no Rock in Rio 2015

Ver Galeria
(2 imagens)

Líder do Queens of the Stone Age e cocriador do Eagles Of Death Metal, Josh Homme está arrecadando dinheiro para as vítimas dos atentados de 13 de novembro, em Paris. O Eagles Of Death Metal era a banda que se apresentava na casa de shows Bataclan, palco de um dos ataques, no momento do ocorrido.

Artistas prestam homenagens as famílias e as vítimas dos ataques terroristas em Paris .

Homme, que não esteve com o grupo no show da capital francesa, usou sua entidade beneficente, a Sweet Stuff Foundation, para incentivar as pessoas a fazerem doações. “Em tributo aos músicos e funcionários de bandas mortos em Paris, a Sweet Stuff Foundation está dedicando todo o dinheiro recebido por seu site até 31 de dezembro para as famílias sobreviventes”, diz a mensagem escrita no site oficial da organização.

O Bataclan foi o centro do mais dramático de uma série de atentados organizados pelo Estado Islâmico, na sexta-feira passada, 13, em Paris. Até aqui, 129 pessoas foram mortas vítimas da tragédia, 89 somente na casa de espetáculos. Muitas outras estão internadas em estado grave.

Eagles of Death Metal volta aos Estados Unidos após atentado durante show da banda em Paris.

Criminosos armados invadiram uma apresentação do grupo norte-americnao Eagles of Death Metal, projeto de Josh Homme, do Queens of The Stone Age, e de Jesse Hughes, do Fatso Jetson. Os atiradores dispararam a esmo nos espectadores e não cederam até até as forças do governo invadirem o local.

Conheça a banda Eagles of Death Metal, que se apresentava em Paris quando ataque terrorista aconteceu.

O Eagles of Death Metal é um grupo de rock com influências de blues formado na cidade Palm Desert, Califórnia, em 1998. No mês de outubro, a banda lançou o primeiro registro de inéditas em sete anos, Zipper Down. Apesar de ter participado das gravações do disco, Josh Homme toca pouquíssimo ao lado da banda em apresentações ao vivo.

Após a tragédia, o Eagles of Death Metal optou por interromper uma turnê europeia na qual ainda faria shows em Tourcoing, no norte da França, na Bélgica, na Alemanha, na Suíça e na Holanda. A excursão estava prevista para acabar no dia 10 de dezembro após um espetáculo em Portugal.

Momentos depois do atentado, o Eagles of Death Metal escreveu pelo Facebook: “Ainda estamos tentando determinar o status de segurança e a localização de toda nossa banda e equipe. Nossas preces estão com todas as pessoas envolvidas na trágica situação”. Desde então, se revelou que o britânico Nick Alexander, que acompanhava os músicos vendendo produtos da banda, também foi morto. Bandas como U2, que se apresentariam na sequência em Paris, e Foo Fighters, em turnê na Europa, acabaram cancelando os seus compromissos.

Nessa quarta, 18, eles publicaram a seguinte mensagem: "“Estamos todos em casa e seguros. No momento, ainda tentamos entender o que aconteceu na França”, diz a nota. “Nossos corações estão principalmente com nosso irmão Nick Alexander [responsável pela venda de produtos do grupo durante o show e uma das vítimas do ataque], nossos camaradas da gravadora Thomas Ayad, Marie Mosser e Manu Perez, além de todos os outros amigos e fãs que tiveram as vidas tiradas em Paris, assim como seus amigos e familiares.”

Saiba mais sobre a tragédia em Paris:

O grupo jihadista Estado Islâmico divulgou neste sábado, 14, um comunicado no qual reivindica a autoria dos atentados em série que atingiram Paris, a capital da França, na noite de sexta, 13, deixando 129 mortos e ferindo mais de 352 pessoas. Este já é considerado o segundo maior ataque terrorista contra civis na história da Europa. As informações são de agências internacionais como CNN e AP.

No texto, enviado ao jornal Le Monde, o Estado Islâmico afirma que "os ataques são apenas o começo da tempestade". Veja a nota abaixo:

"Oito irmãos carregando coletes suicidas e armas automáticas alvejaram áreas no coração da capital francesa que foram especificadamente escolhidas antes: o Stade de France durante uma partida contra a Alemanha na qual François Hollande estaria presente; o Bataclan, onde centenas de idólatras estariam juntos em uma festa da perversidade; além de outros alvos no 10º, no 11º e no 18º arrondissements. A França e todos aqueles que seguem seu caminho devem saber que permanecem o principal alvo do Estado Islâmico. Alá lançou o terror contra seu coração. Paris é a capital da abominação e da perversão. Paris tremeu sob os pés dos terroristas. Este não é nada mais do que o começo de uma tempestade e uma advertência para aqueles que queiram meditar e tirar suas conclusões".

O comunicado, que tem um tom ameaçador, veio à tona alguns minutos após o presidente da França, François Hollande, afirmar que o grupo é o culpado pelos ataques. "É um ato de guerra que foi cometido por um exército terrorista, um exército jihadista contra a França. É um ato de guerra que foi preparado, organizado e planejado no exterior, com cumplicidade de dentro da França."