Coleção de arte de George Michael é vendida por US$ 15 milhões

O dinheiro arrecadado vai para instituições de caridade com as quais o cantor trabalhou

Redação Publicado em 18/03/2019, às 15h02

None
George Michael no Rio de Janeiro, no Rock in Rio 2, em 1991 (Agencia Estado/AP Images)

Em um leilão realizado recentemente e com duração de dois dias, a coleção de arte do cantor George Michael foi vendida por mais de US$ 15 milhões. O dinheiro arrecadado vai para as instituições de caridade com as quais ele trabalhou durante seus 53 anos.

Em vida, Michael comprou dezenas de obras feitas por artistas britânicos como Damien Hirst, Tracey Emin, Sarah Lucas, Michael Craig-Martin e Marc Quinn, integrantes do movimento artístico Young British Art.

Com apenas duas peças confeccionadas por Hirst (“The Incompolete Truth e “Saint Sebastian, Esquisite Pain), o leilão recolheu US$ 2,3 milhões

Além disso, foram vendidos também quadros encomendados pelo próprio músico, além de um painel composto por telas de LCD com software integrado que exibe um retrato de Michael e muda de cor, vendido por US$ 231 mil, recorde do artista Michael Craig-Martin.

A obra “Careless Whisper”, do artista Jim Lambie, e nomeada em homenagem à música do grupo Wham!, foi vendida por US$ 232 mil, quase 10 vezes mais do que seu valor estimado antes do leilão. 

“Trabalho filantrópico foi extremamente imporante para o George durante sua vida, e era seu desejo que esse trabalho continuasse após sua morte”, declarou um dos administradores do patrimônio do cantor.

Algoritmo da Vida: novo projeto da Rolling Stone Brasil busca sintomas de depressão mas redes sociais para prevenção do suicídio: