Diretor acusa Warner de ter censurado Velma lésbica em filme de Scooby Doo

"Em 2001, Velma era explicitamente lésbica no meu roteiro inicial", disse James Gunn

Redação Publicado em 13/07/2020, às 17h36

None

Nas redes sociais, o diretor James Gunn, responsável por Scooby-Doo (2002), revelou como a Warner não permitiu que a personagem do grupo, Velma, fosse lésbica no filme (via Notícias da TV).

Questionado por um fã para realizar "o sonho de fazer um live-action com a Velma lésbica", o diretor confessou que esse era o plano original dele para a produção dos anos 2000.

+++LEIA MAIS: Pilha de cadáveres em Guardiões da Galáxia 2 tem 'toneladas de easter eggs', revela James Gunn

"Eu tentei! Em 2001, Velma era explicitamente lésbica no meu roteiro inicial. Mas o estúdio ficou deixando isso cada vez menos marcante, deixando-a ambígua (na versão que rodamos) e então nada (no produto lançado) e finalmente tendo um namorado (no segundo filme)."

Interpretada pela atriz Linda Cardellini, Velma começou um relacionamento com Patrick Wisely (Seth Green) em Scooby-Doo 2: Monstros à Solta (2004).

Nas redes, o diretor também disse que acha difícil um terceiro filme da franquia e brincou: "Com o elenco original? Seria uma vida incrivelmente longa para um cachorro". Também comentou sobre um possível crossover entre o amável cão que soluciona mistérios e o invocado e querido guaxinim Rocket Racoon, dos Guardiões da Galáxia.

+++LEIA MAIS: James Gunn libera playlist com músicas quase usadas em Guardiões da Galáxia

A resposta do cineasta apresentou, ao mesmo tempo, um empecilho e uma solução: "Scooby e os Guardiões é bem improvável, já que um é da Warner e o outro da Disney. Mas uma animação Mistério SA e Esquadrão Suicida é bem possível."

A segunda opção apresentada por Gunn não entra na lista de projetos impossíveis pelo fato das duas franquias serem propriedade da Warner.


+++ RAEL | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO