Dylan Farrow rebate carta aberta de Woody Allen: “Nada que ele diga ou escreva pode mudar a verdade”

Troca de acusações entre o diretor e a filha adotiva ganhou mais um capítulo

Redação Publicado em 10/02/2014, às 11h21 - Atualizado às 11h47

Woody Allen
Christophe Ena/AP

A troca de acusações entre Dylan Farrow e o pai adotivo, o cineasta Woody Allen, ganhou dois novos capítulos no último fim de semana. Depois que o diretor publicou uma carta aberta no jornal The New York Times rechaçando as acusações de que teria molestado a filha adotiva, Dylan, ela o rebateu novamente, desta vez em reposta ao site The Hollywood Reporter.

Mia Farrow e o filho Ronan atacam Woody Allen após homenagem no Globo de Ouro

"Mais uma vez, Woody Allen ataca a mim e minha família, em um esforço para me descreditar e silenciar - mas nada do que ele diga ou escreva pode mudar a verdade”, escreveu ela. “Por 20 anos, eu nunca vacilei em descrever o que ele fez comigo. Vou carregar as memórias de sobreviver a essas experiências pelo resto da minha vida.”

O diretor alega que as acusações foram criadas pela ex-esposa, Mia Farrow, com quem ele manteve um relacionamento por 12 anos. “É claro que eu não molestei Dylan”, escreveu o cineasta no texto publicado neste domingo. “Eu a amava e espero que um dia ela entenda que teve um pai amoroso e que foi explorada por uma mãe mais interessada em sua própria raiva purulenta do que no bem-estar de sua filha”.

Advogado de Woody Allen diz que acusação de pedofilia é “uma história engendrada por uma amante vingativa”

Dylan, contudo, ataca o texto do pai adotivo e, principalmente, exime a culpa da mãe na história. “Ele insiste que minha mãe apresentou acusações criminais - na verdade, foi uma pediatra que relatou o incidente à polícia com base em meu relato de primeira mão”, escreveu ela.

“Woody Allen tem um arsenal de advogados e agentes, mas a única coisa que ele não tem do seu lado é a verdade”, completou Dylan, por fim. “Eu não vou deixar a verdade ser enterrada e não vou ser silenciada”.

Na carta publicada no The New York Times, Allen informou que não se pronunciará mais sobre este assunto.